sábado, 20 de Setembro de 2014 05:49h Atualizado em 20 de Setembro de 2014 às 05:53h. Carina Lelles

“O legislador tem de ser muito cuidadoso quando fizer parceria com prefeitos, pois automaticamente se transforma num co-autor de suas ações no governo”

Quem é Jorge Torquato?

Divinopolitano, casado, três filhos, gestor comercial pela Faculdade Pitágoras, metalúrgico, tendo estudado no Colégio Batista (BH) e Ouro Preto. Professor de Metalurgia e Fundição, empresário na área de premoldados de concreto que está há 30 anos no mercado.
Produzi, executei e fiz várias peças artísticas e nobres para muitas igrejas (Santuário de Santo Antônio, São Judas, Santa Luzia, Santa Tereza, Senhor dos Passos, São Francisco, Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Santuário de Conceição do Pará), casas e cidades.
Fui presidente do PT Divinópolis, em anos passados, participando ativamente da executiva e do diretório.  Fui presidente da Associação Comunitária Padre Libério. Atualmente sou presidente do PSOL em Divinópolis.
Participei de todos os movimentos pela redemocratização do país: anos de ferro, “Revolução de 64”, Diretas Já (nas ruas), Empeachment do Collor e os movimentos e passeatas junho e julho de 2013 (Vem Pra Rua).
Lutei contra a concessão do pedágio da MG-050, tendo conseguido mais de 15 mil assinaturas, no entanto desconsideradas pelos atuais governantes e parlamentares, e contra a concessão do tratamento de esgoto pela Copasa, fechamento do Pronto Socorro Central e Restaurante Popular. Fui favorável à estadualização da Funedi-Uemg. E [tenho] uma luta incansável pela preservação e limpeza dos rios Itapecerica, Pará e Lagoa do Sidil.
Entre várias ações, coloquei e coloco bancos e lixeiras por vários pontos da cidade. Tenho compromisso com a ética, a transparência e principalmente com a luta por uma sociedade mais justa, igualitária e democrática. Fui candidato a deputado federal em 2010 e a prefeito por Divinópolis nas eleições dos anos 2008 e 2012.

 

Quais são as suas propostas caso seja eleito?
A política deve ser voltada para as bases populares. As minhas propostas são para avançar com um novo modelo de fazer política de forma programática. O político precisa interagir com a sociedade durante o exercício do mandato, buscando novas alternativas, sempre ouvindo a voz do povo, não apenas para fazer projetos e propostas. Seja usando um discurso que apropria de textos redigidos por assessores com conhecimento técnico ou de especialistas das várias áreas administrativas do Estado e da área privada. Hoje estamos vivendo uma crise de valores em nossa cidade, no Estado e no país.
No caso do rio Itapecerica, sempre foi uma bandeira do desenvolvimento sustentável que fracassou em Divinópolis. A cidade está parada, ou andando a passos de tartaruga. Politicamente falando, pelo simples fato de concentrar grande volume de recursos com publicidade, exaltando a vaidade pessoal dos atuais mandatários e deixando as prioridades em segundo e terceiro plano, para dar melhor conforto para a população de Divinópolis, como a limpeza do rio Itapecerica, a falta de remédios na farmacinha, as pavimentações de ruas nos bairros, parados por décadas, até a falta de marcação das faixas do asfalto nas ruas do Centro da cidade, deixam os motoristas confusos ao dirigirem e muitos outros projetos guardados e empoeirados dentro das gavetas dos arquivos, na usina de projetos.
Os deputados eleitos com reduto em Divinópolis apoiam o governo Vladimir. Por isso são co-responsáveis por todas as deficiências deste governo. Seus pares ocupam cargos de confiança na Prefeitura, ajudando a construir essa realidade da cidade, minguando os recursos para obras e serviços, pois precisam desses recursos para serem gastos com os cabides de empregos vergonhosos, empregando alguns familiares de cabos eleitorais da região.
O legislador tem de ser muito cuidadoso quando fizer parceria com prefeitos, pois automaticamente se transforma num co-autor de suas ações no governo. O povo precisa ser politizado para ter consciência disso. Acontece que o que domina é o jogo da politicagem e da esperteza. Sempre usam o jeitinho brasileiro para desvincular da imagem de seus parceiros quando perdem prestígio político. Esse é o objetivo: de se manterem no poder enganando o povo sempre, com uma falsa imagem das verdadeiras intenções da política.
Como deputado federal, exercerei minhas funções focadas na fiscalização do presidente da República.  Meu papel de legislador deve ser em defesa do interesse da maioria da população.
Em nossa cidade esses deputados eleitos defendem interesses empresariais e do Estado. Colaboraram com a implantação de várias políticas impopulares, como por exemplo, presenteando a Copasa com uma taxa extorsiva de esgoto, saindo do bolso de todos os contribuintes divinopolitanos a um custo muito superior do que se fosse pela implantação do sistema de tratamento de água e esgoto, administrado por uma Saae, por exemplo, onde os recursos seriam 100% do município, com a população pagando apenas um terço do que se paga atualmente.
Seguem o projeto neoliberal que fortalece o Estado deixando em segundo plano os projetos sociais. Exemplo disso, o fechamento do restaurante popular em Divinópolis que copia o modelo do restaurante popular criado por Getúlio Vargas em 5 de agosto de 1940. Em Divinópolis fecharam o restaurante popular da cidade. Hoje gastam mais dinheiro comprando marmitex ao preço de varejo do comércio para atenderem as pessoas cadastradas no projeto social.
O pedágio poderia ter um valor muito mais baixo como no Japão e nos países de primeiro mundo. Observação: Na Alemanha não existe pedágio e as rodovias são infinitamente superiores às nossas. Para a boa condução do Estado, o legislador precisa estar em sintonia com a população, a sociedade organizada, através de seus legítimos representantes, trabalhadores, aposentados, sindicatos, etc., aprovando leis, fiscalizando obras e verbas, evitando a exploração da população através de todos os contribuintes.
A eleição deve perder o seu caráter principal de praticar uma barganha de obras e verbas públicas com o povo. Precisamos de bons legisladores e fiscalizadores do Estado e do Executivo.  Uma reforma política imediata deverá criar mecanismos de inibição de parlamentares que se perpetuam no poder, passando por gerações, por décadas, ou séculos, onde oligarquias familiares dominam o povo com um modelo neocolonial e feudal.
A política viciada deve ser abandonada para seguir as normas do parlamentarismo. Onde os programas de governo devem ser implantados em tempo hábil. O legislador precisa de parceiros que satisfaçam às necessidades do povo, sem esperar o momento em que se inaugurem obras que darão mais votos, usando a repercussão nos meios de comunicação das cidades, muitas vezes comprometidos e coniventes.
O legislador deve trabalhar com seriedade em defesa da classe trabalhadora, que é a verdadeira produtora das riquezas da sociedade. Eleger e reeleger demonstrando força política mais parece uma ditadura branca. Sufocar o povo pela propaganda maciça, aproveitando das fraquezas existenciais dos bolsões da miséria social. Continuando o processo da dominação e da exploração do homem pelo homem.
Enfim, empenhar-me-ei diuturnamente em busca de todos os recursos que Divinópolis e toda região Centro-Oeste têm o direito garantido constitucionalmente, através da apresentação de projetos e emendas parlamentares, pois contribuímos com a União anualmente, através de todos os impostos arrecadados e que, lamentavelmente, não exigem em sua totalidade o retorno desses os atuais representantes na Câmara dos Deputados.
Divinópolis é uma cidade pólo, com seus cerca de 250 mil habitantes. Possui uma localização extraordinária na região Centro-Oeste mineira, obtendo saídas para a capital mineira (MG-050), a capital federal (BR-494, interligando à BR-040 – Divinópolis – Martinho Campos – Pompéu) e três grandes centros: São Paulo (BR-494, interligando a BR-381, no município de Oliveira), Rio de Janeiro (BR-494, interligando à BR-040 através da BR-381, Divinópolis – Oliveira – São João Del Rey - Barbacena) e Vitória, através das rodovias MG-050 e BRs-262 e 381), além do acesso ao interior paulista, através da MG-050, sentido Divinópolis - São Sebastião do Paraíso.
Os setores da indústria e comércio, somado ao seu povo laborioso, acolhedor, hospitaleiro, religioso e de muita fé em Deus, fazem dessa metrópole interiorana uma enorme obrigação de seus representantes, de serem dignos representantes dela – e que lamentavelmente não o são. Digo isso com muita propriedade, pois sou divinopolitano nato, filho de pais trabalhadores e honestos. Fui metalúrgico, sindicalista, micro-empresário e hoje, com muita experiência, tanto quanto assalariado e como micro-empresário, sei e conheço muito bem as necessidades do cidadão. Caso seja eleito pretendo atuar e focar em cinco áreas específicas.

 

 

 

EDUCAÇÃO: (ampliar o atendimento a jovens e adultos que queiram retomar o tempo perdido – Projeto EJA), ampliar o número de cursos profissionalizantes, que atendam a demanda de momento e de mercado e reavaliar a escola de tempo integral, valorizando todos os profissionais que nela atuem.
SAÚDE: Estudarmos e colocarmos em prática, o mais urgentemente possível, todas as ações que contribuam para o melhor atendimento aos cidadãos divinopolitanos e de toda a região, com atendimento imediato, digno, respeitoso e cordial, por parte de todos os profissionais da saúde.

 

 

 

SEGURANÇA PÚBLICA: Vamos juntos, imediatamente, estabelecer com todas as autoridades constituídas uma ação concreta e eficaz para implantarmos o Programa Tolerância Zero em todos os crimes, assaltos, furtos, roubos, homicídios, etc., cometidos numa escalda geométrica, praticados em Divinópolis e toda região Centro-Oeste mineira.
MORADIA: estabelecermos com o governo federal uma parceria, na ampliação e facilitação na aquisição desse primeiro imóvel residencial, destinado às famílias de baixa renda, para que num prazo curtíssimo de tempo não haja mais nenhum déficit habitacional, em nosso município e em toda a região.

 

 

 

EMPREGO E RENDA: Estabelecer, facilitar e auxiliar a todos os cidadãos que desejarem montar seu próprio negócio, desonerando-os das perversas cargas administrativas e tributárias, através de subsídios que os incentivem a prosperar em seu próprio negócio, além de estudar formas e maneiras de incentivar aos pequenos, médios e micro-empresários.

Por que os eleitores devem votar em Jorge Torquato?
Ao se decidirem a votar em Jorge Torquato para deputado federal, os eleitores estarão votando em um trabalhador, que vem da base, portanto conhece muito bem todos os obstáculos e as demais dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores e assalariados. Também estarão dando um voto de confiança a todos aqueles que, assim como eu, estão vencendo na vida com muita luta, determinação, persistência através de muito trabalho honesto e digno, ao lado de sua família.
Ao votar em Jorge Torquato o eleitor está querendo alguém que atue com garra, coragem, empenho em buscar recursos perdidos na esfera federal para Divinópolis e toda a região, além de ter atitude ousada em denunciar tudo que for desonesto, errado e prejudicial aos cidadãos e contribuintes. Jorge Torquato é a certeza de um trabalho diuturno, com afinco, presença atuante junto aos prefeitos, vereadores e demais autoridades constituídas nos municípios de toda a região Centro-Oeste mineira.

 

 

Crédito: Arquivo Pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.