terça-feira, 29 de Julho de 2014 07:20h Atualizado em 29 de Julho de 2014 às 07:28h. Jotha Lee

Oito candidatos de Divinópolis ainda não receberam aval da Justiça Eleitoral

Domingos Sávio e Tolentino guardam dinheiro em casa e Martins praticamente dobrou o patrimônio

O número de candidatos de Divinópolis que disputarão vagas na Assembleia Legislativa e Câmara Federal nas próximas eleições pode chegar a 12. Dois nomes que até agora foram pouco ventilados pela imprensa aguardam o julgamento do pedido de registro de candidatura.
Pelo Psol, Rogério Pinto, o Rogério Dedetizador, quer concorrer a deputado estadual e aguarda o julgamento da impugnação ao seu registro apresentado pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE). Assim, sobe para oito o número de candidatos de Divinópolis que pleiteiam candidatura à Assembleia Legislativa. Já o caminhoneiro Marcus Fressati quer concorrer a deputado federal pelo PSL e também aguarda julgamento de impugnação apresentada pela PRE.
Até o momento, entre os candidatos a deputado federal pelo município, apenas Jaime Martins (PSD), que concorre ao sexto mandato, teve seu registro deferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TER).  Entre os candidatos a deputado estadual, tiveram os registros confirmados Adair Otaviano de Oliveira (PMDB), Eliana Piola (PT do B) e Fabiano Tolentino (PPS).
Levantamento realizado pela Gazeta junto às informações fornecidas pelos candidatos à Justiça Eleitoral mostra alguns dados interessantes. Entre os pretendentes a uma candidatura a deputado federal, o empresário, Jorge Torquato, que foi declarado inelegível pela PRE por ter sido enquadrado na Lei da Ficha Limpa, ficou mais pobre e perdeu quase 30% do patrimônio. Torquato ainda não sabe se vai concorrer, pois ainda aguarda julgamento de contestação impetrada junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Já Jaime Martins foi o que melhor administrou seu dinheiro, praticamente dobrando seu patrimônio.
Entre os candidatos a deputado estadual, Rogério Dedetizador declarou não ter nenhum bem, enquanto o ex-deputado, Rinaldo Valério (PTN), foi o que apresentou a melhor conta bancária. Já Fabiano Tolentino foi o que teve o maior crescimento patrimonial.

 

 

 

 

 

 

 

DADOS GERAIS
Veja o levantamento realizado pela Gazeta sobre as informações prestadas à Justiça Eleitoral pelos candidatos de Divinópolis. Todos os dados estão disponíveis e podem ser consultados pelos eleitores junto ao Sistema de Divulgação de Candidatura do TSE.

 

Candidatos a deputado estadual
Adair Otaviano (PMDB) – Patrimônio declarado de R$ 60 mil, contra R$ 65 mil em 2012. Pretende gastar até R$ 3 milhões na campanha. Registro deferido.
Anderson Saleme (PR) – Patrimônio de R$ 295,4 mil, contra R$ 218,4 mil declarados em 2012. Pretende gastar até R$ 5 milhões na campanha. Pedido de registro aguarda julgamento. Justiça Eleitoral solicitou documentação que comprove detalhadamente as atribuições do cargo que o candidato exerce na Receita Federal.
Edson Sousa (PTC) – Declarou patrimônio de R$ 115,5 mil, contra R$ 21 mil declarados em 2012, quando foi candidato a vice-prefeito. Informa que pretende gastar até R$ 3 milhões na campanha. Impugnado pela PRE, o pedido de registro aguarda julgamento.
Eliana Piola (PT do B) – Patrimônio declarado de R$ 1,03 milhão. Não consta declaração de bens anteriores. Pretende gastar até R$ 3 milhões na campanha. Registro deferido.
Fabiano Tolentino (PPS) – O candidato declarou patrimônio de R$ 140,7 mil, contra R$ 33,9 mil em 2010. O patrimônio do candidato teve um crescimento de 315,04% nos últimos quatro anos, conforme as informações prestadas à Justiça Eleitoral. Tolentino informou, ainda, que guarda R$ 52 mil em dinheiro em sua casa. Pretende gastar até R$ 4 milhões na campanha. Pedido de registro deferido.
Heloisa Cerri (PV) – Declarou patrimônio de R$ 553,2 mil contra R$ 298,7 mil em 2012. Pretende gastar até R$ 3 milhões na campanha. Pedido de registro foi impugnado pela PRE. Candidata já apresentou documentação exigida. Aguarda julgamento.
Rinaldo Valério (PTN) – Patrimônio declarado de R$ 5,5 milhões, contra R$ 5,3 milhões em 2012. Pretende gastar até R$ 3 milhões na campanha. Pedido de registro impugnado pela PRE. Aguarda julgamento.
Rogério Pinto (Psol) – Declarou patrimônio de R$ 1,1 milhão, contra R$ 520 mil em 2008. Pretende gastar R$ 100 mil na campanha. Pedido de registro impugnado pela PRE. Aguarda julgamento.

 

 

 

Candidatos a deputado federal
Domingos Sávio (PSDB) – Patrimônio declarado de R$ 3,7 milhões contra R$ 3,1 milhões em 2010. Informou à Justiça Eleitoral que guarda R$ 130 mil em dinheiro em casa. Pretende gastar até R$ 7 milhões na campanha. Pedido de registro impugnado pela PRE. Aguarda julgamento.
Jaime Martins (PSD) – Patrimônio declarado de R$ 5,2 milhões contra R$ 2,9 milhões em 2010. Nos últimos quatro anos o patrimônio do deputado, que busca seu sexto mandato consecutivo, cresceu 79,31%. Declarou que pretende gastar até R$ 9 milhões na campanha. Pedido de registro deferido.
Jorge Torquato (Psol) – O empresário ficou mais pobre. Patrimônio declarado de R$ 2,6 milhões contra R$ 3,7 milhões em 2012. Pretende gastar até R$ 100 mil na campanha. Jorge Torquato aguarda julgamento de contestação junto ao TSE por ter sido declarado inelegível pela PRE. Ele foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por doação acima do permitido na campanha de 2010.
Marcus Fressati (PSL) – Esse é o nome que apareceu nas últimas horas. O caminhoneiro de 47 anos declarou não ter nenhum patrimônio. Pretende gastar até R$ 4 milhões na campanha. Foi impugnado pela PRE e aguarda julgamento.

 

 

 

Crédito: Jotha Lee

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.