sexta-feira, 2 de Novembro de 2012 05:35h Gazeta do Oeste

Oposição pedirá que Lula seja investigado

O novo depoimento do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado como o operador do mensalão, à Procuradoria-Geral da República dividiu a oposição. O PPS anunciou que entrará com representação no órgão com cobranças de investigação sobre o possível envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no esquema. O DEM, contudo, informou que aguardará o posicionamento da PGR sobre o assunto. Já o PSDB ainda estuda como reagirá às declarações que teriam sido dadas por Valério. Ele também teria citado o nome do ex-ministro Antonio Palocci.

O desencontro entre a oposição é tão grande que, depois de o PPS soltar nota, na tarde de ontem, comunicando que entraria com a representação ao lado do PSDB e do DEM, líderes das duas legendas negaram a informação. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Valério deu um depoimento voluntário ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, no fim de setembro. O empresário teria pedido para ser incluído no programa de proteção à testemunha e dito que poderia fazer revelações sobre o esquema.

“A notícia é robusta e precisa ser investigada. Queremos saber qual é o real envolvimento do ex-presidente Lula no mensalão”, afirmou o presidente do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP). Na representação, o partido alega que, apesar de a participação do ex-presidente ter sido descartada pela investigação, as supostas declarações de Valério sobre Lula são fato novo, sendo o ex-mandatário possível “verdadeiro chefe” do esquema.

O senador Agripino Maia (RN), presidente do DEM, disse que a legenda preferiu ser mais cautelosa e aguardar a atuação da PGR. “Para que vamos entrar com uma representação se o Valério teria falado com um órgão investigativo? Pressupõe-se que, se houve o depoimento, a Procuradoria Geral da República irá tomar as providências cabíveis”, disse. Já o líder do PSDB na Câmara, deputado Bruno Araújo (PE), afirmou que não havia conversado sobre o assunto com integrantes da Executiva Nacional do partido, mas que também preferia aguardar. “Creio ser mais sensato esperar que o procurador-geral da República explique o que irá ocorrer a respeito das novas declarações”, afirmou. Segundo a assessoria da Executiva Nacional do PSDB, a legenda ainda “estuda” o assunto.

A oposição havia se organizado para encaminhar a representação à PGR no fim de setembro, quando a revista Veja publicou reportagem sobre supostas declarações de Valério a amigos, também envolvendo Lula no esquema. Acabou desistindo. Segundo Freire, na época, a avaliação foi de que novas investigações poderiam atrapalhar o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal: “Poderia atrasar a análise. Mas, agora, os mensaleiros já estão condenados. Lamento se os outros partidos desistiram, o PPS vai entrar com a representação”.

PT reage

O ex-presidente Lula emudeceu, mas os petistas reagiram ao depoimento dado por mpresário Marcos Valério ao Ministério Público Federal. “Hoje ele é uma pessoa desqualificada para emitir qualquer opinião a respeito dele e dos outros. Teve a oportunidade de dizer as coisas e, agora, no momento em que foi condenado, fala qualquer coisa. Não merece o mínimo de credibilidade”, atacou o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP).

Para o líder petista, o ex-presidente Lula é uma pessoa honrada, que só fez bem ao Brasil e descartou que Valério esteja querendo chantagear o PT, já que as relações do publicitário com o partido são por demais conhecidas. “O PT pagou um alto preço por ter relação com esse senhor. Já pagamos nossos pecados”, completou. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), considerou “lamentável” a tentativa de vincular o ex-presidente ao mensalão. “Depois do julgamento, depois de todas as análises feitas, de todas as investigações feitas, eu diria que não cabe mais nenhum tipo de ilação sobre esse tema, principalmente 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.