quarta-feira, 19 de Junho de 2013 08:10h Carla Mariela

Orientações para as vítimas de acidentes de trânsito são aplicadas no pronto socorro

A presidente do sindicato dos corretores do Estado de Minas Gerais, Maria Filomena Magalhães, compareceu na manhã de ontem, no pronto socorro de Divinópolis junto com o parlamentar, Eduardo Print Júnior (PDT), ambos acompanhados dos seus assessores. A sua

A presidente do sindicato dos corretores do Estado de Minas Gerais, Maria Filomena Magalhães, compareceu na manhã de ontem, no pronto socorro de Divinópolis junto com o parlamentar, Eduardo Print Júnior (PDT), ambos acompanhados dos seus assessores. A sua vinda até a cidade serviu para aplicar a lei de autoria do vereador, a qual está relacionada com explicações para a população sobre o DPVAT (seguro obrigatório no Brasil de danos causados por veículos automotores de vias terrestres), aprovada na Câmara Municipal.

Este projeto altera o 2º, 3º e o 4º parágrafo no artigo 1º da lei de 6.716 de 19 de fevereiro de 2008, que dispõe sobre a fixação das orientações em estabelecimentos de seguro de prestação de serviços de saúde públicos ou privados. Com a alteração, o projeto fica sendo o de número 7.659/2013.

De acordo com Maria Filomena, o objetivo da visita é esclarecer para a população de que o DPVAT indeniza vítimas de acidentes de trânsito. Aquelas pessoas que são atropeladas por caminhões, carros, motos, tem o direito a uma indenização, seja por morte, ou por invalidez total e ainda que parcial. Além disso, a pessoa tem direito ao ressarcimento das despesas que teve com médicos, remédios, com hospitais, desde que tem os comprovantes que pagou realmente por aquele serviço prestado.

Para a presidente, o mais importante é frisar que diferentemente do que muitos falam, o recebimento funciona sem burocracia dispensando intermediário, ou seja, as pessoas podem procurar um dos postos de atendimentos, ou ligar para 0800 031 0202, para mais informações e esclarecimentos. “Tem um posto de atendimento aqui em Divinópolis e já estão sendo montados outros postos na região, porque as pessoas não precisam pagar por esse tipo de serviço, pois o serviço é 100% gratuito e dispensa qualquer tipo de intermediário”, afirmou.

Sobre a forma de divulgação, ela disse que além do pronto socorro, outras instituições podem ter este procedimento para contribuir com a informação. Além disso, ela ainda reforçou que foi sancionada a lei pela prefeitura por criação do vereador Eduardo Print Júnior, onde todos os postos de saúde, postos de atendimento ao público em Divinópolis, são obrigados a terem os seus locais afixados os cartazes abordando o atendimento gratuito.

Eduardo Print Júnior relatou que estava feliz com a presença da Maria Filomena. Ele explicou que o trabalho do vereador é executar leis que beneficia a população e esta é mais uma lei em prol não só de Divinópolis, mas também de todo o Centro Oeste mineiro, já que a sua lei está sendo referência no Centro Oeste, já que Nova Serrana aderiu o mesmo objetivo do projeto. Outras cidades citadas por ele foi: Pedra do Indaiá, Martinho Campus e São Gonçalo do Pará. “Fico feliz em poder ajudar as pessoas na hora que elas mais precisam, devido o acidente automobilístico, porque a vítima e a família entram em desespero e acaba não sabendo a quem recorrer. Eles não tem a necessidade de procurar atravessadores, uma vez que a própria vítima ou familiar pode procurar o sindicato dos corretores pelo 0800 e ali está recebendo todas as dicas, todo o caminho para estar recebendo futuramente os benefícios do DPVAT”, enfatizou.

A diretora da urgência e emergência do pronto socorro, Cristiane Silva, esclareceu que o Dr. Marco Aurélio Lobão, cirurgião e diretor técnico, indicou que fosse colocado na porta de entrada o cartaz para divulgação das orientações sobre o seguro porque já existem atravessadores que aguardam pacientes vítimas de acidentes de trânsito do lado de fora da instituição para cobrar destes pacientes o serviço de acesso ao DPVAT.

Segundo ela, houve a tentativa de coibir a entrada destas pessoas, mas é difícil porque como isso acontece a todo o momento, pelo fato de vítimas serem levadas pelo resgate, tem familiares destas pessoas do lado de fora, tornando difícil controlar esse acesso. “O Dr. Marco Aurélio sugeriu que colocássemos o cartaz desse aviso na entrada, mas existem duas entradas que é a entrada de pacientes menos graves e a entrada de emergência com estado mais grave, e entre uma e outra existe o serviço de cirurgia geral e ortopedia, que também recebe pacientes vítimas de acidentes de trânsito. Eu sugere que colocasse um aviso nas duas entradas porque de qualquer forma por uma das duas entradas estes pacientes ou familiares terão que passar”, encerrou.

Relembre como surgiu a ideia de propor a lei por meio do vereador Eduardo Print Júnior:

Conforme o parlamentar esta proposta de lei surgiu durante uma reunião com os representantes do sindicato dos corretores de seguro (Sincor-MG), momento em que estes comentaram que em 2010 procuraram o vereador Edmar Rodrigues (PSD), para fazer a complementação na lei com mais uma frase referente a gratuidade de se entrar com recurso de indenização do DPVAT.

Eduardo Print Júnior levou a reivindicação destes corretores à casa Legislativa, antes fez uma análise jurídica, já que em 2010 a lei não chegou a ser protocolada para entrar na casa. Em seguida ele manifestou o seu apoio ao sindicato entrando com a lei neste ano para o projeto ser analisado. A lei foi aprovada, complementando a lei de 6.716 de 19 de fevereiro de 2008.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.