quarta-feira, 24 de Outubro de 2012 09:22h Gazeta do Oeste

Para analista, PSDB tem cometido erros sistemáticos

 Nos últimos anos, o PSDB tem vivido uma situação mais de torcedor do que de protagonista, onde os fatos se desenvolvem indiferentes aos desejos e prognósticos do partido. Os tucanos têm errado tão sistematicamente que chega-se a desconfiar que errar seja uma estratégia. O primeiro erro de avaliação do PSDB ocorreu em 2002, ao acreditar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seria capaz de se reinventar. Duvidar do 'Lulinha paz e amor', depois jurar que o petista não conseguiria governar e que seu governo seria um desastre. Quando perceberam que não seria bem assim, passaram a acreditar que o escândalo do mensalão falaria por si. Além disso, a 'barbada' que seria vencer Lula, em 2006, acabou se revelando uma bravata. A avaliação é do cientista político e professor do Insper Carlos Melo.

Para Melo, há também o fato de que no segundo mandato de Lula, os tucanos não acreditaram no poder simbólico do PAC. E cita outros exemplos de como alguns fatos transcorreram de forma oposta ao diagnóstico dos tucanos, como 'o anunciado caos de 2008', quando pregaram que o PT finalmente enfrentaria uma crise de verdade e a maré de sorte terminaria, a descrença com a então candidata e afilhada política de Lula, a atual presidente Dilma Rousseff, e, mais recentemente, a aposta no que se acredita ser as diferenças entre Lula e Dilma ou o rompimento entre 'criador e criatura'.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.