segunda-feira, 28 de Setembro de 2015 10:48h Atualizado em 28 de Setembro de 2015 às 11:41h.

Para Fernando Pimentel, mineiro quer segurança de qualidade

Durante solenidade de formatura de peritos criminais e médicos legistas da Polícia Civil, governador destacou o respeito da instituição junto à sociedade

O governador Fernando Pimentel presidiu, nesta sexta-feira (25/9), no Auditório JK, na Cidade Administrativa, a formatura da primeira turma de policiais civis na atual gestão – 112 peritos criminais e 34 médicos legistas – que concluíram o Curso de Formação da Academia de Polícia Civil de Minas Gerais. Paraninfo da turma e agraciado com a Medalha Gilberto Poro, entregue a personalidades que prestam serviços de destaque para a instituição, Pimentel ressaltou, em seu pronunciamento, o respeito da Polícia Civil junto à população mineira e o compromisso com do Estado com a qualidade da segurança pública.
“Vocês (os formandos) estão entrando em uma instituição que é respeitada, e não temida. A polícia não deve ser temida, deve ser respeitada, e a Polícia Civil é admirada mesmo fora das fronteiras do nosso Estado. A chegada de vocês vai contribuir muito para que esse respeito e essa admiração continuem, cresçam, se consolide, e ampliem até para fora das fronteiras de Minas Gerais. O que o mineiro quer é uma segurança de qualidade e é isso que proporcionamos a Minas Gerais”, afirmou. Segundo o governador, a Polícia Civil “está no eixo da nossa preocupação de governo com a segurança pública”.
Ao elogiar o trabalho do secretário de Estado de Defesa Social, Bernardo Santana, e do chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, delegado Wanderson Gomes da Silva, presentes na ocasião, Pimentel defendeu a necessidade de haver uma Polícia Civil equipada, bem remunerada e eficiente.
A Polícia Civil de Minas Gerais conta, atualmente, com 338 médicos legistas e 613 peritos criminais. Com a formatura, os quadros passarão a contar com 372 médicos legistas e 725 peritos criminais, que, após serem nomeados, serão designados para todas as regiões do Estado, com base em estudo de necessidade das cidades.
Pimentel também destacou a harmonia entre os trabalhos das Polícias Civil e Militar. “Hoje, o trabalho da Polícia Civil e da Polícia Militar, cada qual com sua autonomia, mas trabalhando coordenadamente, está melhorando o ambiente de segurança em Minas e os números mostram isso”, acrescentou.
O chefe da Polícia Civil, Wanderson Gomes, ressaltou os investimentos do governo estadual na instituição e ao esforço do governador em atender ao pleito para convocar os peritos e médicos legistas para o curso de formação, este ano. “Em tempos outros, com um quadro econômico, orçamentário e financeiro mais favorável, a Polícia Civil não recebeu os investimentos tão necessários. Mesmo diante do cenário de dificuldades que enfrentamos, o governador Fernando Pimentel não mediu esforços, o que indica o compromisso com a segurança pública e com a Polícia Civil”, afirmou.
De acordo com o chefe da Polícia Civil, a partir do ingresso desses novos policiais, os serviços no interior do Estado serão intensificados. “Vamos seguir a determinação de fortalecer o interior do Estado, para onde esses novos médicos legistas e peritos criminais serão designados, ampliando a nossa capacidade de prestação de serviços, sem deixar de atender as demandas da região metropolitana”, observou.
Em seus pronunciamentos, o governador e o chefe da Polícia Civil lembraram a morte do delegado Vanius Henrique de Campos, ocorrida na semana passada.
Entre outras autoridades, participaram da solenidade o chefe do Gabinete Militar do Governador, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, a diretora-geral da Academia de Polícia Civil de Minas Gerais, Cinara Maria Moreira Liberal, parlamentares e integrantes da Polícia Civil.

 

Créditos: Omar Freire/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.