segunda-feira, 18 de Março de 2013 06:43h Atualizado em 18 de Março de 2013 às 06:51h. Carla Mariela

Parlamentar fala sobre a prestação de contas apresentada no Poder Legislativo pela equipe da SEMUSA

De acordo com Adilson Quadros, o alto índice no atendimento da área de saúde o deixou bastante preocupado

O secretário municipal de Saúde, Darcio Abud Lemos, esteve na Câmara de Divinópolis junto com a equipe de saúde da SEMUSA no dia 13 de marco, para a apresentação da prestação de contas referentes ao último quadrimestre de 2012. No plenário da Casa Legislativa foram anunciados os dados das receitas e despesas do período citado acima. Estavam presentes nesta prestação de contas, Adilson Quadros (PSDB), que na ultima quinta-feira (14), no uso da tribuna livre, relembrou como ocorreu à apresentação das contas afirmando que ficou preocupado com alguns dados apontados.
Adilson Quadros, durante seu discurso, disse que ficou apreensivo porque foram mais de 200 mil atendimentos na área da saúde. Ele destacou os dados que foram apresentados de 2006 a 2012 sobre a dengue e solicitou dos cidadãos que no momento que o carro do fumacê passar próximo as residências, que os moradores deixem as janelas e as portas abertas para que a fumaça possa combater o Aedes Aegypti adulto. Na prestação de contas, no ano de 2006 as notificações totalizaram em 216. Em 2007, o número de notificações subiram para 364. Em 2008 o índice abaixou 278. Em 2009, as notificações foram 457. Em 2010, o número aumentou chegando a 5.033. Em 2011, as notificações diminuíram para 303 e em 2012 passou para 209. A preocupação agora é com este início de ano onde ações já estão sendo realizadas para evitar uma epidemia na cidade.
Com o numero alto de atendimentos e também sobre essa situação relacionada à dengue, o vereador afirmou que tem que chamar atenção do Estado e também a Federação, além disso, ele destacou a importância da regulamentação da emenda 29.
Em entrevista a Gazeta do Oeste, ontem (15), o Deputado Federal Domingos Sávio (PSDB), explicou que a emenda 29 estabelece aos municípios, estados e o governo federal para destinar parte dos recursos para a saúde. Conforme o deputado essa emenda foi editada em 2000 e quatro anos depois a mesma teria que ser regulamentada. “Lutei muito para esta emenda ser regulamentada e isso deu certo no ano passado. Os municípios são obrigados a aplicar 15% em saúde, os estados são obrigados a aplicar 12%, o governo do estado já está cumprindo com a sua parte aplicando 10%. Nós lutamos para que a União fosse obrigada a aplicar 10%, mas a presidente Dilma Rousseff e a base derrubou esta porcentagem e a União hoje aplica 6%, e isso e pouco``,
Portanto, houve a reivindicação de Adilson Quadros no plenário para que o estado e também da federação esteja mais atenta na área da saúde e a discussão sobre a importância da regulamentação da emenda 29.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.