sexta-feira, 2 de Março de 2012 08:45h Atualizado em 2 de Março de 2012 às 10:35h. Carla Mariela

Parlamentar poderá receber resposta sobre impugnação

Conforme o vereador Adair Otaviano, o desembargador poderá emitir um parecer nos próximos dias

O processo de sucessão da Mesa Diretora, com a composição da chapa 1 representada por: presidente, Anderson Saleme (PR), o vice-presidente, Edmar Rodrigues (PSD), o 1º Secretário Rodyson do Zé Milton (PSDB) e o 2º Secretário Milton Donizete (PRTB), contou não só com a vitória dessa chapa, mas, também com confusões, bate bocas e até o acionamento da Polícia Militar na Casa Legislativa no ano passado.
O motivo da presença da Polícia foi a impugnação realizada por parte do vereador Pastor Paulo César (PRB), alegando que a chapa 2, a qual era composta pelo parlamentar Adair Otaviano (PMDB), Heloísa Cerri (PV), Roberto Bento (PTdoB) e Antônio Paduano (DEM), não poderia concorrer a Mesa Diretora, uma vez que Paduano teria renunciado à Chapa. Após a saída de Paduano, a candidatura da chapa encabeçada pelo vereador Adair Otaviano foi considerada inviabilizada para a eleição.
De acordo com Adair Otaviano, a polícia só foi acionada pelo fato de Paduano não ter apresentado o documento de renúncia conforme manda o Regime Interno, e isso, prejudicou a sua participação na composição da Mesa. “O Regimento Interno fala da renúncia do vereador Paduano e não do partido, faltou da parte do vereador fazer um documento de forma correta e enviar a Mesa Diretora dizendo que estaria fora do processo, mas isso não ocorreu”, declara Otaviano.
Durante a 8ª Reunião Ordinária na Câmara, ontem, ao ser entrevistado sobre como está o andamento do processo, Adair, disse que conversou com o seu advogado sobre o assunto. “Conversei com o Dr. Fabrício e ele me informou que está aguardando nesses próximos dias, até o final de semana que o desembargador se manifeste com relação ao novo recurso que ele pediu, e que enquanto não há essa manifestação, nós não podemos emitir alguma opinião, mas aguardamos ansiosos que a opinião do desembargador seja favorável ao nosso recurso”, afirma.
Ao ser questionado sobre o que está inserido no recurso, Otaviano, afirma que o recurso trata de um pedido de impugnação da eleição que aconteceu, pois ele e seu advogado acham que a eleição não ocorreu de forma regular, de forma legal. “O nosso pedido é que o desembargador cancele a eleição para que ela transcorra da forma correta e que ele se manifeste a favor do nosso recurso”, declara.
O parlamentar, Adair Otaviano, ainda justificou o motivo que fez com que ele recorresse ao Tribunal de Justiça do Estado, e não permaneceu na espera da decisão do Juiz de Divinópolis. “Nós até esperamos a decisão do Juiz de Divinópolis, uma vez que ele pediu para ouvir o vereador, Antônio Paduano, mas o meu advogado entendeu que não era o caso de ouvir o vereador, pois tínhamos no pedido provas contundentes que a eleição ocorreu de forma equivocada. Dessa maneira, entendemos e achamos melhor o nosso advogado entrar com um novo recurso no Tribunal de Justiça do Estado”, esclarece.
Em relação ao dia que o desembargador vai pronunciar sobre o caso, Adair Otaviano, revela que está na expectativa de que até no final de semana esse pronunciamento seja feito. “Até o final de semana, o desembargador deve emitir um parecer e esperamos que seja ao nosso favor. Caso, esse parecer não seja emitido no final de semana, que seja então emitido o mais breve possível, pois aguardamos ansiosos”, finaliza Otaviano.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.