quarta-feira, 4 de Junho de 2014 08:35h Atualizado em 4 de Junho de 2014 às 08:40h.

Parlamentar teme baixaria nas redes sociais durante campanha eleitoral

Deputados federais afinam o discurso e cravam queda de Dilma nas intenções de voto

Os deputados federais por Minas Gerais, Jaime Martins (PSD) e Domingos Sávio (PSDB), que concorrerão à reeleição em outubro, estão com os discursos afinados a respeito da eleição presidencial deste ano. Sávio, por razões óbvias, e Martins, cujo partido é da base aliada do governo no Congresso Nacional, concordam que a presidente Dilma vem perdendo terreno nos últimos meses. “Se a eleição tivesse ocorrido há 60, 90 dias, seria um banho de votos da presidente Dilma, tudo se encaminhava dessa forma. Mas vieram os protestos, a sociedade tem apurado seu senso crítico e hoje eu diria que será uma eleição equilibrada”, avaliou Jaime Martins.
Para o deputado do PSD, “o cenário que se forma hoje indica que teremos o segundo turno e será uma eleição bastante disputada”. Segundo ele, vão pesar muito na balança os investimentos feitos pelo PT em termos de avanços sociais. “Acredito que em um segundo turno vai pesar muito o que o PT representa para o Brasil, em termos de avanços sociais, programas como o Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida e outras medidas que permitiram sem dúvida nenhuma a melhoria na distribuição de renda”, afirmou.
Embora seja da base do governo, o deputado do PSD deu sinais de que apoiará Aécio Neves. “Do outro lado, temos o PSDB, com o senador Aécio Neves, um mineiro que continua vivendo e habitando politicamente no nosso Estado. Portanto, conhece bem Divinópolis, já que por aqui passou muito de sua infância e na sua juventude. Acredito que ele terá todas as condições de estar no segundo turno, levando uma proposta de mudança, uma proposta bastante arrojada em termos de modernidade gerencial, desejando ter um país mais moderno em termos administrativos para eliminar os gargalos das obras inacabadas e propondo acabar com aquilo que é muito combatido hoje na mídia, que é a corrupção excessiva nos meios de Brasília”, avaliou.

 

 

REDES SOCIAIS
Jaime Martins assegurou que teme pela baixaria durante a campanha, especialmente pelas redes sociais. “Espero que seja uma eleição disputada no campo das ideias. Que sejam embates qualitativos tanto pela TV, no Rádio e em toda a mídia”, salientou. “Que a gente não tenha uma artilharia de baixaria, porque os dois lados só têm a perder, o Brasil tem a perder, se a campanha for por esse caminho. Preocupa-me muito, porque à medida que as redes sociais ganham espaço, se tornam instrumentos poderosos de campanha política. Naquilo que há de bom, é excepcional. Só que a rede social também pode ser usada para o mal. Pode ser usada para difamar, divulgar mentiras, para tentar denegrir a imagem de candidatos por coisas que ele não fez e é muito difícil você conter uma mentira na internet. E a gente pede a todo internauta que não passe para frente aquilo que ele não tem a confirmação que seja verdadeiro”, finaliza.
Na avaliação do deputado, Domingos Sávio, a situação eleitoral está mudando. “O Brasil começa a respirar novo ambiente, o ambiente da mudança. As pesquisas já mostram que mais de 65% da população brasileira quer mudar e quer mudar não apenas uma ou outra coisa, quer mudar de governo. A atual presidente aparece com pouco mais de 35% das intenções de voto, o que é natural, porque ela está na mídia todos os dias. Mas, o senador Aécio Neves é o que mais cresce nas pesquisas, enquanto a presidente cai”, assegurou. “Ainda é cedo, ainda não é hora de fazer campanha, mas apenas analisando o momento político, a gente vê que o Brasil quer mudar”, finalizou.

 

 

Crédito: Jotha Lee
Crédito: Reprodução/Instagram

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.