quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012 09:36h Atualizado em 15 de Fevereiro de 2012 às 10:30h. Carla Mariela

Parlamentares ficaram insatisfeitos com a composição das Comissões Permanentes

A reunião realizada na Câmara Municipal de Divinópolis, nessa terça-feira, dia 14, às 14 horas, deixou alguns vereadores indignados com a decisão tomada pelos líderes de bancada e pelo presidente Anderson Saleme (PR), ao distribuir as Comissões dando preferência aos vereadores que possuem mais experiência e formação acadêmica. 
As comissões são constituídas pelos vereadores e são modificadas anualmente. No total são sete comissões compostas por: presidentes, secretários, membros e suplentes. Sendo que cada uma delas visa melhoramento nas suas respectivas áreas, sejam elas de lazer e esporte, saúde, serviços urbanos, direitos humanos, dentre outras.
Conforme a crítica feita pelo parlamentar Beto Machado (PSDB) é preciso que as Comissões sejam revistas. “No nosso entendimento, essa decisão trará problemas, pois a distribuição dos membros das comissões não foi aplicada de maneira correta, pois enquanto alguns vereadores ficaram com cinco comissões, outros ficaram com apenas duas”, aborda. Ele ainda relata que faltam critérios para o vereador exercer o seu papel nessas comissões. “É preciso que os vereadores tenham um conhecimento mais aprofundado para colocar em prática a sua função” acrescenta Beto.
O presidente da Câmara, Anderson Saleme, ao saber sobre a indignação de Beto Machado  explicou que ele adotou dois critérios para fazer a distribuição das comissões. “O primeiro critério foi elaborado com relação à indicação apresentada pelos líderes de bancadas e segundo relacionado ao princípio da proporcionalidade partidária. Nós tentamos atender dentro do possível a todos os vereadores que tiveram pedidos protocolados em tempo hábil”, afirma o presidente da Câmara.
Outro parlamentar que também não ficou satisfeita com a distribuição das Comissões foi a vereadora Heloisa Cerri (PV). O motivo que a fez ficar insatisfeita foi o fato da presidência da Comissão de Saúde ter sido ocupada pelo vereador Geraldinho, uma vez que ela também apresentava a vontade de ser presidente dessa área, já que atua como médica.
Ao ser questionado quanto a sua opinião sobre o pedido feito por Heloisa para ser presidente da Saúde, Geraldinho respondeu que todo vereador tem a sua importância política. “Assumi a presidência da Comissão da Saúde pelo quarto ano. Indiquei o meu nome para participar novamente, mas quem decidiu sobre a minha volta como presidente foi o vereador  Edmar Rodrigues (PSD) com o seu voto”, declarou. E concluiu dizendo que jamais vai deixar ser levado pela vaidade do poder. “Que nós que fazemos parte da Comissao da Saúde possamos realizar o trabalho bastante unidos, pois Divinópolis merece”, finaliza.
O presidente Anderson Saleme, alerta que em relação às queixas que forem surgindo por parte de alguns vereadores, ele analisará caso a caso para evitar transtornos. “Atendemos aos interesses dos vereadores que solicitaram nos ofícios assinados pelos líderes de bancadas. Se houve alguma desproporção foi em razão também dos pedidos. Nós temos como comprovar, pois fizemos um cruzamento de dados para contemplar a maioria com o máximo possível. Evidente que são sete comissões permanentes, três efetivos em cada comissão, perfazendo 21 nomes”, encerrou Saleme.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.