quinta-feira, 15 de Outubro de 2015 12:15h

Parlamento Jovem de Minas 2015 chega à sua etapa final

Estudantes de 38 municípios vão analisar propostas relacionadas à segurança pública e aos direitos humanos

A 12ª edição do Parlamento Jovem de Minas chega à sua etapa final, composta de três dias de atividades voltadas para os estudantes de 38 municípios que participam do projeto de educação para a cidadania desenvolvido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) em parceria com a PUC Minas e câmaras municipais. Durante essa etapa, que começa na quarta-feira (21/10/15) e termina na sexta-feira (23), os jovens vão participar de oficinas e atividades de entrosamento, que culminam com a plenária final, na qual serão votadas propostas para subsidiar políticas públicas relacionadas ao tema “Segurança Pública e Direitos Humanos”.

“A expectativa é sempre de que a edição de um ano seja melhor que a do ano anterior”, comenta a gerente-geral da Escola do Legislativo, Ruth Schmitz. Com essa filosofia, o projeto tem acrescentado inovações em seu funcionamento, as quais permitem maior participação e mais qualidade nas propostas. Neste ano, por exemplo, o programa de formação on-line, que antes era oferecido a coordenadores e monitores, foi estendido a todos os participantes.

O coordenador do projeto pela PUC Minas, Alexandre Eustáquio Teixeira, lembra que o Parlamento Jovem de Minas promove a formação política dos estudantes com uma metodologia participativa e em redes. "Participativa porque os jovens também são protagonistas do seu processo de formação e aprendem a fazer política por meio de atividades de estudo e debates. Em rede porque há um conjunto de instituições que trabalham em parceria no planejamento, execução, monitoramento e avaliação das ações desenvolvidas", explica.

Regionalização – A regionalização dos trabalhos, testada em 2014, foi estendida a todos os municípios participantes. Agregados em oito polos regionais, participam 12 municípios a mais do que no ano passado. Em 2015, com apoio das câmaras municipais, foram envolvidos no trabalho 158 escolas, 1.494 estudantes e 169 monitores. Para Ruth Schmitz, a presença de mais municípios aumenta a pluralidade das opiniões e enriquece o trabalho de formação política proposta pelo projeto.

Para viabilizar a participação de todos, os trabalhos têm sido divididos em etapas municipais e regionais, de onde saem as propostas de cada polo. Agrupadas em um documento-base, elas serão apreciadas durante a plenária estadual.

O documento contém duas propostas de cada polo para os três subtemas: “Prevenção Social do Crime”, “Novas Perspectivas para a Atuação Policial” e “Proteção a Segmentos Vulneráveis à Violência”.

Durante a plenária estadual, as propostas do documento-base serão votadas por representantes regionais. As vencedoras irão compor um documento que será entregue à Comissão de Participação Popular da ALMG, que, por sua vez, dará um encaminhamento a essas sugestões. Assim, essas propostas podem se desdobrar em pedidos de providências a autoridades ou até mesmo em projetos de lei.

Em 2015, a plenária também contará com uma novidade: os representantes regionais poderão votar, durante o evento, em uma das três propostas de temas para o Parlamento Jovem de Minas do ano que vem. Os temas sugeridos são “Mobilidade Urbana”, “Inclusão Social de Pessoas com Deficiência” e “Governança Democrática”, assuntos escolhidos pela Consultoria da ALMG a partir de propostas enviadas anteriormente pelos polos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.