terça-feira, 11 de Agosto de 2015 13:52h

Parlamento Jovem inicia as plenárias regionais

De 12 a 27/8, jovens dos oito polos regionais selecionam as propostas que serão votadas na plenária final, em BH

A partir desta quarta-feira (12/8/15), começam as plenárias regionais da edição 2015 do Parlamento Jovem de Minas, projeto de educação para a cidadania realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em parceria com a PUC Minas e câmaras municipais. Nessa fase, participantes de cada um dos oito polos regionais se reunirão para votar as melhores propostas apresentadas durante as etapas municipais sobre o tema Segurança Pública e Direitos Humanos. Após essa seleção, que termina em 27 de agosto, cada polo redigirá um documento que servirá de base para as discussões na plenária final, que será realizada em Belo Horizonte, entre os dias 21 e 23 de outubro.

Neste ano, o projeto foi ampliado para 38 cidades, 12 a mais que em 2014. Cada cidade compõe um dos oito polos regionais: Central, Centro-Oeste, Médio Piracicaba, Norte e Jequitinhonha, Sul de Minas I, Sul de Minas II, Triângulo e Noroeste, Zona da Mata. A etapa regional foi adotada em 2014 com o objetivo de permitir a ampliação do número de participantes – na edição 2015, são 158 escolas, 1.494 estudantes e 169 monitores envolvidos.

Na opinião do estudante do ensino médio Igor Evangelista, de Itabira (Polo Médio Piracicaba), que participa pela segunda vez do projeto, a plenária regional permite que os participantes se organizem e se prepararem para a última etapa. “Na plenária final, o ritmo é pesado, são muitas propostas e pouco tempo de estudo. O encontro regional é uma preparação para o estadual”, afirma o estudante.

Igor ressalta a importância do projeto para seu aprimoramento escolar. “Além de ampliar meu conhecimento sobre a atuação do Poder Legislativo, o Parlamento Jovem me ajudou a melhorar minha redação, especialmente na argumentação. Influenciou também nos meus objetivos de vida. Penso muito em ser vereador”, declara.

Segurança Pública e Direitos Humanos no centro das discussões

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2014, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a cada 10 minutos uma pessoa é assassinada no País. Em 2013, foram 43.646 mortes violentas no Brasil, número 1,1% superior ao de 2012, quando foram registradas 53.054. O dado incluí vítimas de homicídio doloso, latrocínio e lesões corporais seguidas de morte.

Para discutir as possíveis mudanças nesse cenário, os estudantes do Parlamento Jovem escolheram o tema Segurança Pública e Direitos Humanos para ser tratado na edição deste ano. Com o intuito de orientar na organização das propostas, o tema foi subdividido em três categorias: prevenção social do crime, novas perspectivas para a atuação policial e proteção a segmentos vulneráveis da sociedade.

Para o monitor Emerson Carvalho, da cidade de Carvalhópolis (polo Sul de Minas I), o assunto é polêmico e promete mais controvérsia do que o tema abordado no ano passado – Envelhecimento e qualidade de vida. “A Segurança Pública tem muitas variáveis e está no centro das discussões, no momento”, comenta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.