sexta-feira, 9 de Março de 2012 19:33h Atualizado em 10 de Março de 2012 às 10:13h.

Patrus Ananias ministra palestra de Desenvolvimento Regional em Divinópolis

A aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional, oferecido por meio do Centro de Pós-graduação da FUNEDI/UEMG, na sexta-feira (9) 10h30, no auditório da instituição, em Divinópolis. A abertura do evento foi feita pelo presidente da FUNEDI, professor Gilson Soares, e pelo coordenador do Centro de Pós-graduação, professor Alexandre Simões que observou a importância da formação continuada dos profissionais para o desenvolvimento dos municípios.
Em seguida, houve a palestra “Possibilidades e impasses do desenvolvimento regional: uma reflexão”, proferida pelo professor Patrus Ananias, ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e consultor da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.
Durante a palestra, houve uma discussão sobre a interação que há entre desenvolvimento social e desenvolvimento econômico, considerando que um depende do outro. “Hoje, devemos pensar o desenvolvimento a partir do ser humano, das possibilidades que as pessoas têm”, afirmou Patrus Ananias.
Também houve reflexões sobre a integralização de políticas sociais, bem como, sobre as características regionais do estado. “O desenvolvimento regional em Minas tem relação com o meio ambiente”, considerou o palestrante. Além disso, aspectos como educação, saúde e sustentabilidade e a influência deles para o desenvolvimento regional foram outros pontos discutidos.
Na palestra, Patrus discutiu ainda a necessidade de promover meios para que as pessoas possam transformar ideias em projetos e projetos em ações e, também, a importância de valorizar as experiências de vida e a participação nas discussões locais e regionais, o que ele considera como democracia participativa. “Nós podemos fazer um desenvolvimento regional, debatendo com a população os desafios locais e regionais”, reforçou.
Para Denise Rover Rabelo, professora do curso de Mestrado, a palestra foi bastante positiva. “Chamou muito a atenção a abordagem feita em relação ao desenvolvimento e o que ele considera como desenvolvimento e a relação disso com o regionalismo”, comentou. Logo após a palestra, houve ainda um debate com os presentes. “Durante a arguição por parte dos participantes, ele pode falar não apenas do desenvolvimento regional, mas também de outras questões relacionadas às políticas de forma geral”, observou Denise. O evento contou com a presença de alunos e professores tanto do curso de Mestrado em Desenvolvimento Regional, quanto de outros cursos da instituição, e encerrou-se às 12h30.

O curso
Além de ser o primeiro Mestrado Profissional de Minas Gerais em Desenvolvimento Regional, o curso é recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e, segundo a ficha de recomendação, “tem uma proposta bem estruturada através da área de concentração e de duas linhas de pesquisa, estando bem ajustado à área de Planejamento Urbano e Regional. As condições apresentadas de infraestrutura são boas. O corpo docente é diverso em sua formação e está bem qualificado para desenvolver as atividades pertinentes ao curso e apresenta produção acadêmica e técnica condizente”.
O curso tem como público-alvo os profissionais diplomados em quaisquer áreas de conhecimento e graduações (bacharelado, licenciatura e tecnológica). A área de concentração do mestrado é “Inovação, Desenvolvimento Regional e a Inclusão Social”, e há as seguintes linhas de pesquisa: Desigualdades Regionais e Inclusão Social, e, Inovação e Desenvolvimento Regional. A duração média do curso é de dois anos.
A formação proporcionada pelo mestrado profissional em Desenvolvimento Regional considera competências e habilidades tais como domínio de técnicas de pesquisa e de análise, tanto para elaborar projetos e diagnósticos, quanto para promover o planejamento urbano e integração de equipes multiprofissionais; prestação de assessorias técnico-científicas; e participação na gestão, planejamento, diagnóstico e acompanhamento da implantação de políticas públicas que visem a aumentar a produtividade e a competitividade das empresas da microrregião industrial do Centro-Oeste mineiro; e, ainda, a qualificação para o exercício da docência em instituições de ensino superior.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.