terça-feira, 17 de Março de 2015 14:07h

Pimentel autoriza R$ 456 milhões para ciência e tecnologia

Durante evento com Fapemig, governador também exaltou solidez da democracia brasileira e assegurou que está comprometido em recuperar a capacidade de gerenciamento do Estado

O governador Fernando Pimentel participou nesta terça-feira (17/3) da solenidade de assinatura de termo que autoriza a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) renovar convênios com 86 instituições públicas e privadas para a concessão de bolsas voltadas à área de ciência e tecnologia. Os convênios representam investimento de R$ 456 milhões pelos próximos cinco anos e vão beneficiar tanto jovens talentos do ensino médio quanto pesquisadores de pós-doutorado.
O objetivo da parceria é assegurar a possibilidade e o compromisso da Fapemig e, portanto, do governo de Minas Gerais, de repassar recursos visando à manutenção e o fortalecimento do Sistema Mineiro de Ciência e Tecnologia (C&T).
Também participaram da celebração do termo, realizada no auditório da instituição de fomento à pesquisa, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Correa, o presidente da Fapemig, Evaldo Vilela, e, representando as instituições de ensino, o reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Jaime Arturo Ramírez.

Estímulo à pesquisa
Após assinar o documento e assistir ao vídeo de apresentação dos bolsistas, Pimentel rendeu uma homenagem à Fapemig, bem como a toda comunidade científica de pesquisadores e de professores do Estado. “O trabalho desenvolvido pela Fapemig tem dado certo, tem frutificado e, por isso mesmo, tem de continuar. Daí a importância de renovarmos esses convênios para os próximos anos, para estimular a pesquisa, a ciência e a tecnologia em Minas Gerais”, disse.
As bolsas fazem parte de quatro programas com diferentes objetivos. Um deles, o de Iniciação Científica e Tecnológica (PIBIC), é responsável pela melhoria dos cursos de graduação e formação de quadros para a pós-graduação. Já o de Apoio à Pós-graduação (PAPG) auxilia as atividades de desenvolvimento da programação acadêmica.
Além destes, há ainda o de Iniciação Científica Júnior (BicJr), que visa despertar o interesse de jovens do Ensino Médio em ciência e tecnologia; e o de Capacitação de Recursos Humanos (PCRH), que capacita pesquisadores e técnicos das instituições estaduais dedicadas às atividades de CT&I.
Anualmente, a Fapemig apoia cerca de 3 mil projetos de pesquisas e concede cerca de 8 mil bolsas destinadas a pesquisas em ciências, tecnologia e inovação.

Compromisso com a inovação
Pimentel também reafirmou o compromisso do governo de Minas Gerais em investir na chamada “Economia do Conhecimento”, para que a economia do Estado dê um salto de qualidade no século 21.
“Precisamos investir fortemente na inovação e termos uma economia voltada para o século 21. Não há mal nenhum em ter os pés fincados no século 20, desde que esses pés nos garantam um salto para o século 21. Temos um compromisso muito forte com a ciência, tecnologia e inovação. Estamos claramente comprometidos com esse caminho”, disse Pimentel.
O presidente da Fapemig, Evaldo Vilela, elogiou o governo de Minas Gerais pelo empenho em fortalecer o setor de ciência e tecnologia no Estado. A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), segundo Vilela, vai atuar pela primeira vez para atrair investimentos na área.
“Aplaudimos a iniciativa do governo para que a Codemig atue pela primeira vez na atração de investimentos de base tecnológica, iniciativa esta que somos parceiros de primeira hora, já que a Fapemig está hoje estruturada como uma agência de inovação”, disse.

Democracia
Em entrevista à imprensa após a solenidade, o governador Fernando Pimentel comentou as manifestações populares dos últimos dias. Para ele, é preciso que a sociedade perceba com “naturalidade” e “tranquilidade” os atos públicos em um país democrático, onde as instituições funcionam e as pessoas e a imprensa têm liberdade para se expressarem. Pimentel disse ainda ser preciso que os governos continuem trabalhando para atender a expectativa da população.
“É o que estamos fazendo em Minas Gerais. Encontramos o Estado numa situação difícil, não é segredo para ninguém, do ponto de vista financeiro, orçamentário, mas também do ponto de vista de gestão. Temos que corrigir isso. Estou muito comprometido com a tarefa de recuperar a capacidade de gerenciamento do Estado, recuperar a capacidade de planejamento e investimento e tocar Minas Gerais na direção do futuro”, afirmou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.