sexta-feira, 17 de Outubro de 2014 06:09h Atualizado em 17 de Outubro de 2014 às 06:18h. Jotha Lee

Pimentel diz que vai buscar recursos federais para concluir hospital regional

Governador eleito diz que solução para o Hospital São João de Deus precisa ser urgente

O governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), visitou Divinópolis ontem e manteve agenda voltada para encontros empresariais. Ele almoçou na central de abastecimento de uma grande rede de supermercados, onde ouviu as reivindicações do setor.
Pimentel estava acompanhado de diversas lideranças políticas, entre elas o ex-prefeito, Demetrius Pereira (PT), que já anunciou sua pretensão de disputar a Prefeitura em 2016. Outro ‘prefeitável’ a receber o governador eleito, foi o também ex-prefeito, Galileu Machado (PMN). De acordo com o principal articulador político de Galileu, o empresário, Fausto Barros, ele já está em campanha e vai concorrer à sucessão municipal.
Em coletiva à imprensa, Fernando Pimentel anunciou a instituição dos Conselhos Regionais de Governo, que terão como função definir e discutir as prioridades de cada região. Segundo ele serão doze Conselhos Regionais, um deles na região Centro-Oeste. “Quando começar o governo nós vamos constatar que o Estado não tem dinheiro para fazer tudo ao mesmo tempo. Isso é natural. Eu espero que tenha algum dinheiro, não sei se vai ter. De qualquer maneira, o dinheiro que houver terá que ser discutido regionalmente e é isso que os Conselhos terão como meta.”
Para o governador eleito, a saúde vai estar no topo da lista das prioridades. “Mesmo antes do funcionamento dos Conselhos, eu sei que a Saúde vai estar no topo da lista”, afirmou. Para ele, o Hospital Regional deverá ser uma das principais prioridades da região Centro-Oeste.
“Nós temos que concluir sua construção e vamos concluir. Eu pretendo buscar dinheiro do governo federal para concluir essa obra. A presidente Dilma tem conversado conosco sobre o assunto e existe um programa do Ministério da Saúde para apoio da construção de hospitais regionais, então eu não vejo dificuldade, ainda que não haja dinheiro do governo estadual suficiente”, afirmou Pimentel.
Ele disse que é necessário agilizar a construção do hospital púbico e trabalha com a hipótese da reeleição da presidente, Dilma Rousseff. “Ela tem compromissos com a saúde e tem compromisso comigo pessoalmente, então eu não vejo dificuldade em concluir a obra, sendo a presidente Dilma reeleita”, assegurou.
Sobre a gestão do Hospital Regional, Fernando Pimentel mudou seu discurso. Em entrevista exlcusiva à Gazeta do Oeste, na visita que fez a Divinópolis ainda em campanha, ele assegurou que a gestão do Hospital Regional seria entregue à Universidade Federal de São João del-Rei. Agora, após eleito, ele afirma que o modelo de gestão ainda não foi discutido com a região, que deverá decidir sobre isso.
“A alternativa que mais me agrada é usar o hospital regional como hospital escola do curso de medicina da Universidade Federal de São João del-Rei. Essa seria uma excelente ideia, mas eu não vou impor uma solução do hospital que é da região, por isso é importante a presença do Conselho Regional, que vai discutir isso com os representantes da região”, afirmou Pimentel. “É uma saída extraordinária ter um hospital universitário”, acrescentou.

 

 

 

 

SÃO JOÃO DE DEUS
Sobre o hospital São João de Deus, o governador eleito garantiu que o Estado estará atento na busca de uma solução, mas afirmou que isso começa pela correção de sua gestão. Ele admitiu que não conhece todo o processo envolvendo o maior hospital filantrópico da região. “Tenho que dizer isso com clareza, mas posso afirmar que o Secretário de Estado da Saúde que chegar ao governo terá que tomar isso a pulso, vir para cá, reunir-se com os responsáveis e ver se é possível substituir a gestão e encontrar uma alternativa”, assegurou.
O governador eleito criticou o governo tucano, afirmando que os hospitais filantrópicos foram abandonados na atual gestão do Estado. “Nós não vamos deixar os hospitais filantrópicos abandonados à própria sorte como fez o governo do PSDB nesses últimos doze anos. Isso não é uma crítica, é uma constatação. Mesmo com as limitações que tinha, somente quem cuidou deles foi o Ministério da Saúde, o governo do Estado não fez nada. Nós vamos fazer”, afirmou.
Para o governador eleito, “o Hospital São João de Deus é um exemplo agudo, muito agudo, da falta de assistência do Estado, combinada com a má gestão. Essa combinação prejudicou muito Divinópolis e o Centro-Oeste. Ficou um hospital que é muito importante em situação muito precária. Nós vamos ter que resolver isso rapidamente. Isso não precisa levar um ano, essa é uma intervenção que temos que fazer imediatamente.”

 

 

 

 

EQUIPE DE GOVERNO
Fernando Pimentel negou que o coronel, Eduardo Campos de Paulo, comandante da 7ª Região da Polícia Militar, esteja cotado para assumir o comando da Polícia Militar em Minas Gerais, como informou uma alta fonte do PT. O governador eleito garantiu que não há nenhum nome já definido para compor seu governo.
“Não há nenhum cargo definido, não tem nome de ninguém sequer indicado. Nós não estamos tratando disso. Isso só vai ser tratado lá no final, provavelmente em dezembro. Nós nem temos o diagnóstico do Estado”, garantiu Pimentel. “Somente depois que tivermos um diagnóstico, tendo um quadro completo das condições do Estado e, evidentemente, negociando com a base partidária e com outras forças políticas que vierem a integrar a base do governo, é que vamos pensar em nomes”, esclareceu.

 

 

 

Crédito: Aaron Gabriel

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.