quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014 04:40h Atualizado em 18 de Dezembro de 2014 às 04:43h. Mariana Gonçalves

Plano de contingência para 2015 é anunciado

O tradicional Plano de Contingência, conjunto de ações que visam a segurança da população principalmente no período das chuvas, é renovado anualmente

Em visita técnica realizada na manhã de ontem no bairro Esplanada, para checar o andamento dos trabalhos finais de retirada dos aguapés no Rio Itapecerica, o prefeito Vladimir Azevedo aproveitou a oportunidade para anunciar à imprensa que as ações referentes ao Plano de Contingência da Defesa Civil 2015 já estão valendo oficialmente no município.
“Ele [o plano] prevê toda uma pré-articulação entre Prefeitura, escolas, área de saúde, área social, defesa civil, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Cemig e Copasa, para caso ocorra uma cheia em Divinópolis estejamos preparados para uma ação rápida em termos de defesa civil, de proteção da vida e de garantir serviços essenciais básicos à família. Então fizemos todo um cinturão de segurança”, garante Azevedo.
O secretário municipal de Operações Urbanas e Defesa Civil, Dreyfus Rabelo, salientou que há alguns dias foi realizada, em conjunto com os Bombeiros e a Polícia, uma vistoria em locais de risco a fim de já serem tomadas medidas de prevenção, as quais estão previstas no plano de contingência. Além disso, o município tem definido locais que possivelmente abrigarão as famílias em momento de crise.
“Inicialmente temos o Poliesportivo Fábio Botelho Notini, no Centro da cidade, o poliesportivo do Niterói e o Centro Social Urbano (CSU). Se estes locais não comportarem, claro que não esperamos passar por tal situação, mas, se somente estes locais foram insuficientes, teremos também todas as escolas municipais abertas para receber as famílias”, afirma o secretário. O Plano engloba ainda ações para epidemias e para a falta de água, como o vivido atualmente em boa parte do país.

 

 

FIM DO TAPETE VERDE
Acompanhado da equipe da Defesa Civil e outros representantes do governo municipal, o prefeito informou que aproximadamente 20 mil metros cúbicos de aguapés foram removidos das margens do rio e enviados, após secagem, ao aterro controlado. Os dados apontam que foram limpos 1.800 metros lineares de rio, com largura entre 50 e 60 metros, totalizando cerca de 93 mil metros quadrados. Foram empregados 3.387 caminhões para a retirada de todo o material.
O serviço de remoção dos aguapés do rio Itapecerica foi concluído depois de aproximadamente 70 dias de trabalho, prazo inferior aos 90 dias previstos. “Vimos esse fenômeno atípico do efeito tapete dos aguapés, que ocorreu em Divinópolis, muito pela falta de água no curso do rio e fizemos essa operação. Utilizamos o papa-aguapés, que inicialmente apresentou alguns problemas, mas que tão logo foram sanados. No entanto, montamos o plano complementar no início do mês de outubro e as duas frentes funcionaram juntas, perfeitamente, em outubro e novembro”, avalia Azevedo.
O prefeito falou ainda sobre as medidas adotadas pela administração para que os aguapés não se proliferem de forma descontrolada novamente. Será feito um controle monitorado ambiental e biológico do rio, para manter um volume considerável e não deixar chegar ao efeito tapete. “O aguapé, até um determinado ponto, cumpre um papel importante para oxigenação do rio, tendo em vista que ele alimenta da poluição e contribui nesse processo. O volume descontrolado é que gera problema e nós vamos manter esse controle periódico e permanente através das secretarias do Meio Ambiente e de Operações Urbanas, um trabalho conjunto, permanente e articulado”, afirma.
O aguapé é também um efeito da seca e da poluição histórica do rio. “Já temos a licitação em fase de homologação por parte da Copasa, um investimento que será da ordem de R$ 240 milhões e isso será um divisor de águas com certeza, não só para o rio Itapecerica, mas para a história do saneamento básico, o maior investimento ambiental que nossa cidade terá”, garante Azevedo.

 

 

IMAGEM SACRA
Alexandre Laredo, proprietário do Papa-Aguapé, passou para às mãos de Vladimir a imagem de uma santa, com aproximadamente 80cm de altura, encontrada por trabalhadores que realizavam a retirada de aguapés do rio Itapecerica. Agora quem decide o futuro da imagem é o prefeito.

 

Crédito: Prefeitura Municipal de Divinópolis

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.