terça-feira, 7 de Outubro de 2014 05:03h Jotha Lee

Polarização das eleições prejudicou desempenho tucano em Minas, diz prefeito

Vladimir Azevedo afirma que virada de Aécio foi a grande surpresa das eleições

Em entrevista exclusiva à Gazeta do Oeste, o prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), falou sobre os resultados das eleições. Em sua avaliação, o candidato tucano à presidência, Aécio Neves, foi a grande surpresa do pleito. Aécio, que amargou um terceiro lugar nas pesquisas durante boa parte da campanha, conseguiu uma virada histórica na reta final e vai disputar o segundo turno com a candidata petista, Dilma Rousseff.


Sobre a arrancada de Aécio, o prefeito assegurou que foi uma grande surpresa, diante de alguns eventos, como por exemplo, a Copa do Mundo, que retardou a sintonia do eleitor com a corrida presidencial. Outro evento que no entendimento de Vladimir Azevedo tornou esta eleição atípica foi a queda do avião que matou o candidato do PSB, Eduardo Campos, no meio da campanha.


“A Copa do Mundo, sendo realizada no Brasil, de certa maneira já trazendo um fator atípico à cabeça do eleitor para ele voltar à sintonia com o processo eleitoral e, quando isso começa a acontecer, ocorre a queda do avião que matou Eduardo Campos, que já tinha cerca de dez pontos das intenções de voto e isso tornou a campanha mais voltada para um choque emocional”, afirmou Vladimir.


Para Vladimir Azevedo, Aécio Neves sempre apostou no que chamou de ‘onda da razão’. “E ela veio, veio forte, e nós vamos motivados para o segundo turno. Vamos colocar a liderança, o talento, a história de Aécio Neves para o povo brasileiro conhecer melhor e quem sabe tenhamos essa grande vitória do PSDB. Mas tenho certeza, acima de tudo, para um Brasil novo que nós precisamos fazer.”

 

 

 

GOVERNADOR
Sobre a derrota do PSDB para o governo do Estado ainda no primeiro turno, o prefeito disse que ainda é muito cedo para analisar se houve alguma falha do partido na condução da campanha. Para ele, o candidato do partido, Pimenta da Veiga, foi o nome encontrado para manter a unidade do grupo. O prefeito afirma que a falta de um terceiro concorrente com força de votos, polarizando a disputa entre PSDB e PT, foi outro fator que favoreceu Fernando Pimentel.


“Nós tivemos em Minas, usando o futebol como metáfora, um Atlético e Cruzeiro, porque faltou um terceiro candidato com competitividade que ajudasse a dar o equilíbrio na média, que projetasse um número para possibilitar o segundo turno”, analisou o prefeito, que reconheceu também o bom desempenho de Pimentel. “Houve também uma questão de atributos pessoais e Pimentel soube usar isso muito bem”, garantiu.


Ao analisar a perda de votos histórica ocorrida na cidade, o prefeito considerou que boa parte foi motivada pelo voto biométrico. “Tivemos um fenômeno em Divinópolis e acaba que a biometria trouxe um prejuízo no número de votos, além da abstenção atípica e uma pulverização do cenário, que prejudicou muito. Acredito que a reeleição dos três [Jaime Martins, Domingos Sávio e Fabiano Tolentino] é fundamental para que possamos garantir os programas fundamentais para a qualidade de vida de nossa gente e para o desenvolvimento de nossa cidade e região”, afirmou.


Sobre seu futuro político, já que tem pouco mais de um ano de mandato, Vladimir Azevedo disse que seu foco atual está voltado em concluir bem a administração. “Estou muito focado em consolidar esse mandato e fazer essa composição com os deputados eleitos para que possamos concluir obras importantes como o Hospital Público, a despoluição do Rio, o gasoduto, a duplicação da MG-050, a linha aérea, o Samu. São questões importantes, estou muito focado nisso e eu quero é concluir bem esse mandato”, finalizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.