quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012 09:00h Atualizado em 16 de Fevereiro de 2012 às 10:20h. Liziane Ricardo

PR mantém postura tranquila e pode voltar ao governo em março

Jaime Martins avalia que questões não abalaram bancada federal e senadores

Passada a onda de denúncias contra os ministros da presidente Dilma Rousseff (PT) em seu primeiro ano de mandato, das quais a maioria envolvia o Partido da República (PR). Sobre este contexto, a reportagem procurou saber a opinião de um dos membros da sigla na esfera federal e representante de Divinópolis na Câmara dos Deputados, Jaime Martins. Em análise do cenário político vivido em 2011, o deputado mineiro destacou que o PR fez parte da campanha eleitoral da presidente Dilma, compõe o governo, porém a legenda ainda não sabe como será o desfecho da provável reforma ministerial prevista para este ano 2012.
Entretanto, a nível partidário, Jaime Martins esclareceu que o PR sempre esteve muito tranquilo, mesmo no caso de poder ou não participar do governo. “Isso é uma questão que não abala a bancada federal e os senadores. Porém o que existe é um apelo do governo para que o partido possa continuar na base de sustentação do governo, e essa é a conversa que se tem nesse momento”, frisou o republicano.
Já em relação à busca por pastas e espaços políticos, o deputado mineiro  confirma que há conversas em andamento para que seja justificável este apoio político. E ao ser questionado quanto as denúncias veiculadas na mídia, Jaime considerou que tudo já está sendo devidamente explicado, uma vez que até o momento todas as denúncias cessaram a nível Nacional.
O PR em se tratando de Estado, tem uma boa relação com o governador Antônio Anastasia (PSDB) segundo Jaime Martins, que pontuou também a boa relação do partido no município, tanto com o atual governo Vladimir Azevedo, quanto com as demais siglas PT Psol, PV considerando o deputado haver um amplo leque de relação com as siglas.

RECONQUISTA
Contudo, a reconquista do PR para ocupar novamente uma pasta na Esplanada dos Ministérios foi anunciada esta semana. Ao que tudo indica o convite para voltar ao governo com um ministério será formalizado pela presidente Dilma Rousseff em março. Além do PR, Dilma também deverá definir o futuro no governo do PDT, que pleiteia voltar a ocupar o Ministério do Trabalho.
O PR reivindica retornar ao comando do Ministério dos Transportes. Em julho, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) deixou a pasta depois de denúncias de irregularidades. Desde então, a titularidade do Ministério está com Paulo Passos, filiado ao partido.
“Ele (Passos) é filiado ao partido, mas não foi indicado para o cargo pelo PR. Ele é uma indicação pessoal da presidente”, afirmou o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG). Ele e o senador Blairo Maggi (MS), líder do PR no Senado, reuniram-se com a ministra-chefe de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para discutir a volta do partido para a base de apoio do governo no Congresso.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.