terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012 09:16h Atualizado em 28 de Fevereiro de 2012 às 10:06h. Marina de Morais

Prefeito e superintendente vão à Brasília

O Prefeito Vladimir Azevedo e o Superintendente da Usina de Projetos Lúcio Espíndola de Sena, estiveram em Brasília ontem para discutir modificações no cronograma do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em 2012, no Ministério das Cidades

O Prefeito Vladimir Azevedo e o Superintendente da Usina de Projetos Lúcio Espíndola de Sena, estiveram em Brasília ontem para discutir modificações no cronograma do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em 2012, no Ministério das Cidades.
De acordo com Lúcio, a reunião entre prefeitura e Ministério tinha como objetivo discutir o saneamento básico na cidade. O foco principal é discutir sobre a coleta e tratamento do esgoto, que agora fará parte dos serviços oferecidos pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). As ações fazem parte do PAC em Divinópolis.
O superintendente conta que na reunião foi pensado o reajuste do cronograma do PAC em 2012. O acordo sobre definições de novas datas será restabelecido entre Prefeitura Municipal, Copasa, Caixa Econômica Federal e Ministério das Cidades.
A Caixa funciona como intermediária entre município e Ministério. Já o município é responsável pela execução do projeto, juntamente com a Copasa. Por fim, o Ministério, fica a cargo do financiamento.
Lúcio conta que o PAC do saneamento está com as atividades paralisadas há mais de um ano, por causa do cronograma. Por isso, com o ajuste pensado na reunião, a ideia é que as obras possam ser retomadas. Ele ainda diz que a previsão é de que as obras sejam concretizadas até 2013, para que o fechamento do programa possa ser concluído.
“A gente vê o encontro como muito positivo, porque reforça as responsabilidades de cada participante [Prefeitura, Copasa, Caixa Econômica Federal e Governo Federal], para que o projeto possa continuar seu andamento”, comenta.
Lúcio diz que o valor estimado para as obras em Divinópolis gira em torno de R$49 milhões, sendo R$43,7 mi arcados pelo Governo Federal e a diferença pelo município.
Já o valor estimado para todas as obras do PAC no país gira em torno de R$42 bi. Em paralelo, o Governo Federal autorizou o empréstimo de quase R$40 bi para 20 estados brasileiros. O objetivo dos empréstimos é dar um impulso ao crescimento econômico do Brasil em 2012.


O esgoto em Divinópolis

De acordo com, Ronaldo Dias, gerente do distrito do Alto Pará da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), a coleta e o transporte de esgoto já estão em operação desde 1° de janeiro. A previsão é de que em 2012, a cidade já tenha pelo menos uma estação de tratamento de esgoto, que atenderá, em um primeiro momento, a região bacia do Rio Pará – bairros Icaraí, Distrito Industrial e Floramar.
Em relação aos valores pagos pelo serviço, o gerente diz que a companhia cobrará apenas pela coleta e transporte de esgoto, por enquanto, pois ainda não há tratamento de esgoto na cidade. A taxa pelo serviço será de 45% sobre o valor cobrado pela água, de acordo com determinações da Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE).
Ainda de acordo com o gerente, o poder público municipal, sob acordo realizado com Copasa, arcará com a tarifa de coleta e transporte do esgoto para residências e comércios.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.