quarta-feira, 21 de Setembro de 2011 10:06h Flávia Brandão

Prefeito se mostra favorável ao aumento no número de vereadores

Executivo afirma que município não terá impacto de novas despesas

O aumento no número de cadeiras no Legislativo Municipal tem causado grandes polêmicas entre a população e os vereadores que são favoráveis passar de 13 para 17 parlamentares a partir do pleito de 2012. Avaliando este contexto, o chefe do Executivo, Vladimir Azevedo (PSDB), em entrevista a Gazeta do Oeste, opinou ser favorável ao aumento da representatividade municipal. “Tive a experiência de ser vereador com 19 cadeiras no legislativo, e também fui vereador com o número reduzido para 13, e com base nestas duas experiências avalio que a representatividade é importante. E o que o ocorre é um mito sobre esta questão de que mais vereadores consequentemente irão aumentar as despesas”, afirmou Azevedo.


O prefeito defende que a Câmara Municipal já tem uma receita definida pela Constituição com base no artigo 29 A, no qual propõe o repasse de 6% do Fundo de Participação do Município (FPM), isto indiferente de se terem mais ou menos cadeiras no Legislativo.


“Acredito que não teremos impacto de novas despesas e sim um rearranjo da Câmara em relação a suas próprias despesas. Dezessete é um número de bom tamanho aumentando a representatividade, mas esta é uma opinião minha, como ex-vereador e cidadão divinopolitano. Portanto, o poder Executivo não irá interferir neste assunto que é uma decisão somente da Câmara de Vereadores”, frisou.

 

 

ARTICULAÇÕES


Caso o Chefe do Executivo, consiga se reeleger no pleito de outubro de 2012 as articulações para sua base aliada também dependerão do número de parlamentares eleitos que irão caminhar junto da administração municipal. E neste contexto, o tucano ressalta será uma questão de adaptação conforme a engenharia política de base e prefere não se antecipar.

 

MESA DIRETORA

 

 

Considerando que já foi dada a largada para as articulações da disputa pela Mesa Diretora em dezembro deste ano, há indicações de nomes da base aliada ao atual governo. Lançados os nomes de Anderson Saleme (PR), Beto Machado (PSDB), Milton Donizete (PRTB) e a possível candidatura à reeleição do atual presidente pastor Paulo César (PRB), o Chefe do Executivo se posicionou “São três grandes nomes da minha base aliada, já vivi oito eleições da Mesa Diretora e avalio que agora é apenas o momento mesmo de articulação e maturação destes nomes já lançados. Eles devem se organizar e conquistar o voto do colega, e qualquer um dos três nomes que se caso forem escolhidos, estarei muito bem contemplado”, finalizou Azevedo.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.