terça-feira, 5 de Novembro de 2013 05:01h Carla Mariela

Prefeito sinaliza positivamente para a viabilização de mais 1.000 casas no bairro Lagoa dos Mandarins

De acordo com o deputado federal, Domingos Sávio, será pleiteado pelo menos mais mil casas para o bairro. A definição do número exato dependerá do projeto que levará em conta o terreno que a Cohab possui. Para Sávio, preferencialmente ele quer que as casa

O deputado federal, Domingos Sávio (PSDB), afirmou ontem em seu gabinete em Divinópolis, que já se reuniu com o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), e o gestor recebeu com muito entusiasmo a sua proposta, de fazer uma parceria da prefeitura com o governo do Estado, para viabilizar a construção de mais casas no bairro Lagoa dos Mandarins.

 


De acordo com o deputado será pleiteado pelo menos mais mil casas. A definição do número exato dependerá do projeto que levará em conta o terreno que a Cohab possui. Para Sávio, preferencialmente ele quer que a Cohab mantenha a linha de fazer casas e só no último caso fazer prédios, que não sejam de numeração alta de apartamentos, uma vez que o que o preocupa é manter uma boa qualidade de habitação e obviamente uma boa qualidade de vida para os moradores.

 


Hoje o bairro Lagoa dos Mandarins, segundo ele, já é um ótimo espaço de Divinópolis. Porém já se observa na cidade que o conjunto habitacional, se for bem feito, com o tempo, a própria comunidade vai melhorando-o e nem percebe que está em uma construção do tipo.

 


O parlamentar ressaltou que as pessoas vão melhorando as suas casas, deixando-as com uma aparência melhor e um exemplo muito clássico que ele dá, é o conjunto que ele construiu quando era prefeito de Divinópolis, o conjunto Walchir Resende, que fica depois do bairro Ipiranga. “Este conjunto hoje se percebe um bairro de classe média da melhor qualidade com comércio, serviço, todo urbanizado e é o que nós queremos para o bairro Lagoa dos Mandarins”, destacou.

 


Foi abordado por Sávio que tendo mais moradores haverá também o aumento da necessidade de novos investimentos, um comércio local mais dinâmico e cuidados sendo tomados com relação à creche para a educação de crianças. No futuro um posto de saúde, praças, áreas de lazer. “É esse o desejo: fazer do bairro Lagoa dos Mandarins um conjunto habitacional que ofereça boa qualidade de vida para a população. O prefeito Vladimir Azevedo topou com muito entusiasmo, já nos deu sinal verde para continuar as negociações e hoje (04) ainda devo conversar com o presidente da Cohab. Estou indo para BH para ter esta conversa e espero que possamos marcar a vinda dele à Divinópolis para visitar junto ao prefeito e a mim o local para definirmos quantas casas poderemos construir ali”, frisou.
Outro detalhe relatado pelo deputado foi o fato da mudança no trajeto da MG 050, ou seja, do anel rodoviário que corta Divinópolis. “Ali no Icaraí, nós temos um problema muito grave por ser à entrada da cidade industrial. Nós vamos ter uma mudança no trajeto da rodovia que é ali próximo a AABB depois de passar da ponte do Rio Pará vindo de Belo Horizonte para Divinópolis. Nós vamos ter a rodovia se deslocando em direção ao bairro São Caetano e Lagoa dos Mandarins. Esta rodovia não vai prejudicar a construção de novas casas, mas vai passar próximo ao conjunto habitacional e vai voltar ali antes do trevo do Vila Romana. E aquele pedaço de rodovia que vai deixar de ser, virará uma avenida urbana, de ligação ao distrito industrial, de acesso ao bairro São Caetano, próprio bairro Lagoa dos Mandarins”, acrescentou.

 


Para Sávio haverá uma melhora do trânsito quanto ao acesso ao distrito Industrial e ele já está olhando também no DR, o trajeto da rodovia para o projeto de ampliação do conjunto para não entrar em conflito com esta mudança que haverá na via, “tudo isso nós já estamos fazendo para que o projeto de ampliação do conjunto Lagoa dos Mandarins possa ser elaborado e executado para ser entregue até o final do ano que vem”. 

 


Sobre novo projeto a ser votado na câmara dos deputados

 


No dia 19 de novembro conforme, Domingos Sávio, haverá a votação de alguns vetos que estão trancando a pauta. Quando estes vetos forem votados, ele disse que pretende votar a Lei de Diretrizes orçamentárias (LDO), que já deveria ter sido aprovada em julho e que vai ser agora. ”Nós conseguimos incluir na LDO uma emenda de minha autoria, de muita importância, para a saúde, para a área social, para as clínicas de recuperação de dependentes químicos, as chamadas comunidades terapêuticas”, destacou. A emenda de sua autoria foi aprovada e vai para o plenário permitindo que o governo federal possa celebrar convênio com hospitais filantrópicos, santas casas, creches e asilos e comunidades terapêuticas para fins de investimento e custeio. Isso, para ele é muito importante porque sabe que são muitos hospitais, como o São João de Deus, e várias outras Santas Casas que estão à beira da falência.

 


O parlamentar ainda explicou que o governo federal repassa o recurso do SUS para o pagamento dos procedimentos que são realizados e que sempre é insuficiente. Fora isso, o governo tem celebrado convênios para compra de equipamentos de sessão de uso para obras. O orçamento da União sempre foi travado baseado em suas informações. “Sempre tivemos o impedimento, uma clausula da LDO impedindo convênios para obras e para custeio dessas unidades de saúde e também das comunidades terapêuticas. Eu consegui aprovar a minha emenda e ela agora sendo aceita no plenário vai permitir que na aprovação do orçamento de 2014, coloquemos dinheiro para ajudar, por exemplo, as comunidades terapêuticas de Divinópolis que na maioria não conseguiram adequar suas instalações para serem aprovadas pela vigilância sanitária, com isso elas tem dificuldade de receber repasse de recursos para internação junto ao SUS de pacientes com dependência química. Não recebendo dinheiro público, não faz as reformas e não se adéqua. Agora vamos colocar emendas parlamentares para obras de melhorias destas comunidades”, concluiu.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.