sexta-feira, 7 de Dezembro de 2012 10:48h Atualizado em 7 de Dezembro de 2012 às 10:51h.

Prefeitos debatem fechamento de mandato em Belo Horizonte

O evento na sede do Banco do Brasil em Belo Horizonte conta com a presença de atuais e futuros prefeitos de várias cidades do estado.

O prefeito Vladimir Azevedo, presidente da Frente Mineira de Prefeitos e o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, vice-presidente da entidade e anfitrião,  fizeram na manhã de ontem (06) a abertura oficial do 97º Encontro de Prefeitos de Cidades-Pólos de Minas Gerais. O evento na sede do Banco do Brasil em Belo Horizonte conta com a presença de atuais e futuros prefeitos de várias cidades do estado.
Um dos assuntos em questão é a  isenção do ICMS na iluminação Pública. “Sempre muito importante a presença de todos os prefeitos aqui, ressalto o bom trabalho do prefeito Vladimir que dirigi a Frente Mineira de Prefeitos. Sobre a questão da iluminação Pública, a  forma de resolver isso precisa ser melhor discutida, porque o Governo resolveu em uma só tacada dar isenção muito grande  e isto poderia ter sido feita de forma gradual, desta forma diminui a locação de novos investimentos”, comentou Márcio Lacerda.
O secretário executivo da Frente, Erick Souto, coordenador do Encontro, afirmou que a tônica do debate é sobre o momento que vive a maioria dos prefeitos, o fechamento de mandato. “Temos aqui  atuais prefeitos e futuros, onde estamos debatendo as mais variadas questões que envolvem os municípios. A presença do Dr. Márcio Kelles é de fundamental importância, principalmente neste momento de crise financeira que vive cada cidade”, justificou.
No painel na parte da manhã o destaque foi o fechamento de contas do último ano de mandato à luz da Lei de Responsabilidade Fiscal. O condutor foi o  Prefeito de Poços de Caldas, Paulo Silva; com a exposição do professor e assessor da Escola de Contas e Capacitação do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Márcio Ferreira Kelles.
Questionado pela imprensa da capital sobre a situação em que vivem hoje os municípios, Vladimir Azevedo, ressaltou que a união de várias entidades como a FMP e AMM é fundamental neste momento. “Hoje a gente vive uma inversão  de papeis. Nós tivemos uma ditadura militar  e não podemos aceitar uma ditadura econômica  com uma centralização de recursos muito forte no poder central, e agravando a isto temos essa crise internacional e que reflete no Brasil, Estados e Municípios. A medida anti-crise colocada pelo governo federal  agrava e muito a situação dos municípios. Estamos perto de três bilhões de reais de dinheiro tirado do IPI, que compõe o FPM. Em Divinópolis  temos uma perda perto de R$ 5 milhões. É um período preocupante  e temos que aproveitar esse momento para dar um grito. É importante a presença dos prefeitos neste encontro”, afirmou.
Na quarta-feira (05) também em Belo Horizonte, secretários municipais e procuradores participaram do 15º Encontro de Procuradores Municipais de Minas Gerais e 10º Encontro de Secretários Municipais de Minas Gerais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.