quarta-feira, 29 de Janeiro de 2014 03:25h Atualizado em 29 de Janeiro de 2014 às 03:28h. Simião Castro

Prefeitura cadastra dependentes químicos para tratamento

Ato precisa ser voluntário. Após triagem, dependente pode ser internado em entidade de reabilitação

A prefeitura realiza cadastro de dependentes de álcool e outras drogas que queiram tratamento e internação em comunidades terapêuticas credenciadas em Divinópolis e região. O cadastro precisa ser voluntário e é feito pelo Serviço de Referência em Saúde Mental (Sersam). O cadastro é o ponto inicial de filiação ao Programa Aliança pela Vida, do governo do Estado.
De acordo com a psicóloga e referência técnica do Cartão Aliança, Luciana Capanema, o primeiro passo é procurar o posto de saúde da região do dependente, onde ele vai receber o encaminhamento ao Sersam e poderá agendar o primeiro atendimento. Uma vez completo o cadastro e os procedimentos o dependente é internado e o Estado repassa R$ 900 mensais à comunidade terapêutica que o acolheu.
Luciana, no entanto, alerta que o processo até a internação é rígido. Além de ser avaliado sob a real necessidade de internação, o dependente precisa apresentar três laudos exigidos pelo Programa: médico, psiquiátrico e odontológico. Ela explica que esse procedimento e o tempo que ele demanda também fazem parte da estratégia de análise do comprometimento do indivíduo com a própria recuperação. “A família pode ajudar, mas se a pessoa não demonstrar esse desejo eu não tenho como conseguir esse benefício para ela.”
Em Divinópolis, o programa teve início no final do ano passado com a contratação de Luciana, responsável pelo acompanhamento e monitoramento das vagas sociais disponibilizadas nas comunidades terapêuticas locais. Apenas uma entidade do município está credenciada atualmente, mas os casos identificados na cidade também podem ser encaminhados a comunidades da região.
Até o momento 20 pacientes foram cadastrados e sete internados, sendo que quatro deles estão na Casa Dia, em Divinópolis. Os outros três foram recebidos por entidades de Cláudio e Oliveira. Todos são homens e com idades entre 20 e 56 anos. A cada três meses é feita uma avaliação do tratamento. O benefício é concedido por no máximo seis meses e o dinheiro é depositado diretamente para a entidade de assistência.
Mais informações sobre o Programa Aliança pela Vida podem ser obtidas no Sersam. O endereço é rua Antônio Olímpio de Oliveira, nº 201, bairro Universitário, entre 7h e 11h, ou pelo telefone (37) 3222-6536.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.