sábado, 1 de Março de 2014 04:49h Atualizado em 1 de Março de 2014 às 04:54h. Carla Mariela

Prefeitura de Divinópolis realiza prestação de contas do município na Câmara

A prefeitura municipal de Divinópolis realizou uma prestação de contas ontem à tarde, na câmara municipal.

O encontro foi conduzido pela diretora contábil, Geneci Martins de Moura, que fez por meio de slides a apresentação de dados sobre áreas como educação, saúde, infraestrutura, dentre outras. Ela também comentou sobre as receitas e despesas do município.
Após a apresentação das contas, a Gazeta entrevistou a diretora que afirmou que a situação atual está difícil não só para Divinópolis, mas para todos os municípios brasileiros. São aproximadamente 95% das cidades que estão com a situação complexa. Segundo ela, o impacto da receita não está se comportando de acordo com o que precisa e com o projetado, nesse sentido é que a situação se encontra difícil.
Ainda baseada nas informações de Geneci quando se pega um déficit de arrecadação de mais de 30% com certeza ele vai impactar em tudo. Ela explicou que houve a economia da despesa, tanto é que o crescimento dela foi de R$2 milhões somente e houve também o corte. Mas, mesmo assim a despesa não comportou de acordo com a queda da receita que estava, conforme a diretora, muito grande.
Para o ano de 2013, a meta era de R$536 milhões, Geneci abordou que esta meta não atingiu nem R$400 milhões.
O vereador Adair Otaviano (PMDB), após apresentação das contas, informou para a reportagem que ficou preocupado com a apresentação de contas, porque a folha da prefeitura com o pessoal segundo ele, podia atingir 54%, porém ela está em 58.5, e para ele isso é o cúmulo do absurdo. “Nós estamos em um ano eleitoral, medidas teriam que ser tomadas. Sabemos que tem cidades vizinhas que estão com um pessoal aqui trabalhando em cargo comissionado para manter cabos eleitorais dos deputados, o que é inadmissível. Estamos numa situação caótica, crítica. Nós estamos à beira do abismo. Gestor que pensa no povo age em favor do povo e o que eu vi aqui hoje, eu estou saindo muito triste. Eu tenho uma lei aprovada nesta câmara e que praticamente é copiada no Estado de Minas funciona em BH, e em São Paulo, que faz com que o município arrecade mais ISS e o prefeito nunca quis sentar para analisá-la para ver se ela boa, se ela pode melhorar a arrecadação da cidade. É triste ver que a situação da administração municipal não é boa. A solução nós teremos que buscar em conjunto”, relatou.
O vereador Anderson Saleme (PR) também fez algumas indagações durante o encontro. Para Saleme os cargos comissionados são importantes, mas são cargos que muitas vezes soam como figurativos na administração, porque para ele, talvez se soubesse sobre esta situação que os técnicos passaram durante apresentação das contas, talvez eles nem assumissem os cargos, de tão difícil que a situação se encontra.
Geneci encerrou enfatizando que o controle da despesa está sendo estudado, o controle da receita individualizada está sendo feito. Tudo isso faz parte do planejamento. Ela está esperançosa enquanto técnica, que as coisas mudem em todos os municípios. “Eu acho que o poder Legislativo deve sentar com o Poder Executivo e fazer uma gestão compartilhada”, concluiu.
Vereadores como Careca da Água Mineral (PROS), Marquinho Clementino (PROS), Edimar Félix (PROS), Anderson Saleme (PR), Edimilson Andrade (PT) participaram do encontro.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.