terça-feira, 9 de Dezembro de 2014 04:51h Atualizado em 9 de Dezembro de 2014 às 04:55h. Jotha Lee

Prefeitura utilizará alta tecnologia para fiscalização do trânsito

Equipamentos a serem utilizados permitiram multas até por comando de voz

Em reportagem exclusiva veiculada na edição da última sexta-feira, a Gazeta do Oeste publicou informações sobre as modificações que estão sendo preparadas para o trânsito de Divinópolis a partir do ano que vem. Entre as principais novidades estão o talão eletrônico para aplicação de multas e a instalação de radares nas vias mais movimentadas. Os radares vão multar motoristas que avançarem o sinal vermelho, pararem sobre a faixa de pedestres e por excesso de velocidade.
Para operar essas inovações no tráfego, cujo objetivo é apertar a fiscalização aos motoristas infratores, a Prefeitura vai contratar empresa especializada para prestação de serviços de apoio e gerenciamento ao controle do trânsito. O nome da empresa será conhecido no próximo dia 23, data marcada para a concorrência pública. O contrato com a vencedora terá duração de cinco anos e a Prefeitura deve gastar algo em torno de R$ 30,1 milhões. Todo o sistema eletrônico de fiscalização deverá estar implantado até o final do primeiro semestre de 2015.
O novo esquema de gerenciamento de trânsito em Divinópolis vai usar alta tecnologia, com informatização total do sistema para análise de acidentes e processamento de multas, que passará a ser feito através de equipamentos eletrônicos e talão convencional. O sistema permitirá movimentação de notificações de trânsito, bem como fornecerá dados estatísticos.

 

 

TALÃO ELETRÔNICO
O Talão Eletrônico que passará a ser utilizado pelos agentes de trânsito é um equipamento dotado de sistema informatizado que permitirá o registro das informações relativas à infração de trânsito cometida pelo motorista no ato da autuação.
É um equipamento portátil para registro de infrações de trânsito e, numa comparação a grosso modo, assemelha-se às máquinas utilizadas hoje pelos leituristas da Copasa e Cemig, que emitem a conta no ato da medição. O equipamento é dotado de hardware e software com o objetivo principal de aperfeiçoar a emissão das multas pelos agentes de trânsito e permitirá, ainda, o registro de auto de infração por comando de voz.
Já os radares eletrônicos serão dotados de altíssima tecnologia, sem necessidade de operação manual, sendo controlados pela Central. Para sua instalação, será necessária a construção de tubulação e dutos para fiação, instalação de sensores na pista, bem como a colocação de bases de apoio da estrutura para suportar os equipamentos.
Os radares vão capturar automaticamente as imagens dos veículos em velocidade superior à permitida, inclusive motocicleta, e gerar os respectivos comprovantes de infração. Além de monitorar o tráfego nos dois sentidos, os equipamentos deverão capturar com qualidade as imagens dos veículos, independentemente da luminosidade ambiente, devendo ser utilizado dispositivo infravermelho para operação noturna.
Dentre outras especificações técnicas, os radares deverão indicar para todos os motoristas sua velocidade no instante da passagem pela área supervisionada e possuirão indicação de velocidade máxima permitida. O valor global para a instalação de todo o sistema é de, no máximo, R$ 30,1 milhões, entretanto, poderá ficar abaixo disso, dependendo da proposta vencedora da licitação marcada para o dia 23 de dezembro.

 

 

Veja como será efetuado o pagamento pelos cinco anos de contrato

ANO VALOR A SER PAGO
2014 R$ 503.218,00
2015 R$ 6.038.616,00
2016 R$ 6.038.616,00
2017 R$ 6.038.616,00
2018 R$ 6.038.616,00
2019 R$ 5.535.398,00

 

 

Fonte: Edital licitatório
Crédito: Reprodução
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.