sábado, 28 de Fevereiro de 2015 04:40h Atualizado em 28 de Fevereiro de 2015 às 04:52h. Jotha Lee

Presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal teme mortes por falta de leitos

Vereador reafirma que Unidade de Pronto Atendimento se transformou em um postão

O vereador Edmilson Andrade (PT), reconduzido à presidência da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, garantiu que a prioridade de trabalho esse ano é o combate à dengue. Segundo ele, é necessário aumentar os mutirões de limpeza. “A cidade está muito suja, há muitos lotes sujos que representam um grande perigo”, assegurou.
Segundo ele, a Comissão vai articular a criação do ambulatório da dengue, além de se aliar ao governo do município para que a Prefeitura possa dar melhor estrutura à rede pública para atendimento de pacientes com dengue. Andrade frisou ainda que a situação já exige que se tome medidas preventivas para evitar que a cidade enfrente uma epidemia. “A dengue mata”, alertou.
O presidente da Comissão de Saúde destacou que outra necessidade urgente é a implantação do Samu, que pode, em sua opinião, ajudar até na redução da falta de leitos. “Com uma ambulância equipada com UTI e todos os recursos médicos, fica muito mais fácil pegar um paciente que aguarda na fila por um leito de internação e levar para uma cidade mais próxima onde haja esta vaga”, analisou.
Ele esclareceu que já está sendo agendada uma reunião com o secretário de Estado da Saúde, Fausto Pereira, para discutir a Central de Leitos na região. “São 600 pessoas aguardando na fila para internamento, sem contar pacientes que aguardam para cirurgias eletivas”, acrescentou.
Edmilson Andrade afirmou ainda que a Comissão vai defender novos convênios com a rede hospitalar da cidade, para reduzir os gastos do município com Tratamento Fora do Domicílio (TFD). “Nos últimos quatro meses o TFD viajou um milhão de quilômetros levando pacientes para fora de Divinópolis. Além do custo altíssimo para o município, ainda há o risco que esses pacientes correm nessas viagens”, avaliou.

 

MORTE
De acordo com o vereador é preciso rever o pacto hospitalar, pois toda a região procura o Hospital São João de Deus para atendimento, o que gera ainda mais transtornos e demora. “Eu estive na UPA e só na unidade há 20 pessoas esperando atendimento. Tem muita gente na fila e muita gente vai morrer por causa disso. Temos que buscar uma solução com urgência”, garantiu.
O presidente da Comissão de Saúde disse ainda que é necessário um trabalho de prevenção e exemplificou essa necessidade com o alto volume de acidentes envolvendo motocicletas. “Acidentes com motos estão a cada dia se tornando uma questão mais séria e hoje representa boa parte dos atendimentos na UPA. Temos que ficar vigilantes nessa questão”, afirmou.
Sobre o funcionamento da UPA, Edmilson Andrade garantiu que ela está cumprindo muito bem suas funções. “A UPA vai muito bem naquilo que ela foi preconizada, que é urgência e emergência. O problema é que todo tipo de problema é levado para a UPA. Vem paciente de fora e busca socorro na UPA. Tudo cai na UPA, que virou um postão”, finalizou.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.