quarta-feira, 13 de Maio de 2015 10:18h

Presidente da Comissão Nacional de Leite avalia programa lançado ontem pelo Governo Federal

Investimentos em defesa sanitária, abertura de novos mercados e marketing devem ser pontos de destaque no novo programa nacional de Melhoria da Competitividade do Setor Lácteo Brasileiro

Investimentos em defesa sanitária, abertura de novos mercados e marketing devem ser pontos de destaque no novo programa nacional de Melhoria da Competitividade do Setor Lácteo Brasileiro, lançado pelo Governo Federal nessa terça (12), em Brasília. Esta é a avaliação do presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA e diretor da FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), Rodrigo Alvim, que classificou como ‘promissor’ o plano apresentado à ministra da Agricultura, senadora Kátia Abreu: “Em todos os seus pilares, o plano contempla itens importantíssimos, essenciais para toda a cadeia. Se levado a bom termo e de fato colocado em ação em sua integridade, o plano vai contribuir muito para a competitividade do setor”.

Para ele, a erradicação da brucelose e da tuberculose precisa ser meta prioritária, uma vez que as doenças ainda são empecilhos para a entrada do produto brasileiro em importantes mercados consumidores: “É um passo indispensável para nossa competitividade no mercado internacional, e acreditamos que haverá um forte empenho do Governo neste sentido, haja vista, inclusive, o recente lançamento do novo Plano de Defesa Agropecuária, bastante completo”.

Outro ponto destacado por Rodrigo Alvim é a abertura de novos mercados, que deve ser impulsionada por um pesado trabalho de marketing e de relações comerciais internacionais, como o que a ministra desenvolveu por anos à frente da CNA: “Este é outro ponto fundamental e no qual certamente teremos resultados muito positivos”, disse.

| Programa de Melhoria da Competitividade do Setor Lácteo Brasileiro
                     
A ministra Kátia Abreu recebeu ontem (12) o Projeto de Melhoria da Competitividade do Setor Lácteo Brasileiro, durante reunião com representantes do Mapa e da cadeia produtiva (produtores e industriais). O presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA e diretor da FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), Rodrigo Alvim participou do evento, representando o setor produtivo.

Os principais pilares do projeto serão a assistência técnica, a abertura de linhas específicas para a modernização e otimização de custos no setor, a sanidade animal, a qualidade e a promoção do consumo de leite. Os estados prioritários serão Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Goiás, maiores produtores de leite do país. No entanto, o projeto poderá ser ampliado para outros estados.

A ministra Kátia Abreu afirmou que as medidas propostas pelo programa vão garantir a qualidade do produto e impulsionar as exportações: “O programa vai permitir que nosso produto possa, em primeiro lugar, ter qualidade para nossos maiores consumidores, os brasileiros, que vão saber que estamos com a rédea e o controle da sanidade nas mãos. Além disso, visamos o mercado exportador. Pretendemos que países prioritários, como China, Rússia e Japão, comprem nossos produtos sem nenhuma barreira”, observou a ministra.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.