quarta-feira, 6 de Março de 2013 05:21h Atualizado em 6 de Março de 2013 às 05:24h. Carla Mariela

Presidente do PSDB avalia convite para assumir a Secretaria de Políticas sobre Drogas e a de Direitos Humanos

Ainda não há nada decidido oficialmente, mas já houve uma conversa entre o prefeito e ele para a possibilidade de sua saída da atual Secretaria em que atua

O presidente do PSDB de Divinópolis, Luiz Gonzaga Militão, em entrevista ontem (05) pela manhã à Gazeta do Oeste na Prefeitura, comentou sobre a possibilidade de assumir duas secretarias do Poder Executivo: a secretaria de Políticas sobre Drogas e a secretaria de Direitos Humanos. Segundo Luiz Militão, o convite ainda não foi feito oficialmente, mas que o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) já o procurou para conversar sobre o assunto.

De acordo com o presidente do PSDB, entretanto o prefeito já sinalizou esta possibilidade, mas que nada foi formalizado. “São duas secretarias, a de políticas sobre drogas e de direitos humanos. Estas teriam um novo viés de interação com outras para enfrentar frontalmente o problema das drogas a partir da prevenção, da recuperação, da reintegração, então o prefeito fez esta sinalização e como ele tem os seus ajustes políticos, a nova equipe de governo ainda não se formalizou, não oficializou o convite, mas chegou a conversar comigo”, afirmou Militão.

Ao ser questionado quanto a aceitar a convocação ou não Militão afirma que fazer parte das secretarias, será mais um desafio em sua vida e um desafio que ele gostaria até como missão de vida e como apostolado. “Eu já tenho um trabalho voluntário nessa área, principalmente, de prevenção e recuperação, mas me interessa muito até porque o Governo Federal acaba de lançar um programa chamado Crack é Possível Vencer e nós precisamos enquanto cidadãos enfrentar isso porque a situação está virando uma epidemia que incomoda toda a sociedade, ou seja, tem flagelado as famílias de Divinópolis, mineiras e brasileiras”, destacou.

As principais diretrizes deste programa do Governo Federal é fazer com que haja ampliação da oferta de serviços, estando a rede SUS preparada para o atendimento, reinserção social, apoio integral aos usuários e aos familiares. O atendimento é de 1,1 milhão de pessoas por ano, com foco na população de rua. O programa aponta 2.460 novos leitos em enfermarias especializadas, 1.140 leitos existente readequados para crack e outras drogas, 430 unidades de acolhimento adulto em parceria com instituições e entidades sem fins lucrativos, acolhimento e apoio ao usuário para manutenção da estabilidade clínica e controle de abstinência, 188 unidades para acolhimento infanto-juvenil.

Entretanto, um dos maiores objetivos do programa é promover articulação junto às áreas de saúde e assistência social, é fazer parcerias com o estado e municípios para a promoção de espaços urbanos seguros, além disso, fortalecer ações de inteligência e investigação enfrentando assim o tráfico de drogas e o crime organizado, fazer prevenção nas escolas, disseminação contínua de informações e orientações sobre o crack e outras drogas, capacitação de 210 mil educadores e 3,3 mil policiais militares educadores do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD), dentre outras maneiras de prevenção para combater a criminalidade. Em Divinópolis, só neste ano de 2013, já foram registrados seis homicídios.

Contudo, Militão afirmou que está aguardando o parecer do prefeito Vladimir para que ele possa falar com mais detalhes sobre o assunto. Por enquanto não está definida uma posição oficial sobre a mudança de secretarias, houve apenas uma conversa entre os dois.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.