quinta-feira, 26 de Maio de 2011 09:22h Atualizado em 26 de Maio de 2011 às 13:51h. Flávia Brand?o

Previsão de implantação de empreendimento no município

Romeu Scarioli, vice-presidente da FIEMG, adquiriu terreno de 110 mil m2 no Centro Industrial

O empresário Romeu Scarioli, vice-presidente Fiemg, ex-presidente do BDMG e presidente da Holding RNJ,  que comprou 33 terrenos no Distrito Industrial de Divinópolis, num total de 110 mil m2     para instalação do “Projeto Primavera”, que será um grande condomínio industrial - abrigando empresas em uma cadeira produtiva -  esteve na última terça-feira (24) em Divinópolis para participar da reunião do Conselho do Centenário, que discutiu um Plano de Ações Estratégicas de 2011 a 2032 para o desenvolvimento econômico do município. Na oportunidade, Scarioli afirmou que ainda está analisando a atual conjuntura econômica, que muda em ritmo acelerado, para decidir a área de atuação do seu empreendimento, mas em setembro irá anunciar os dados concretos a respeito de investimento.


O empresário que tem negócios em vários setores como metal-mecânico, geração de energia, engenharia, locação de equipamentos e de biotecnologia afirma que o empreendimento a ser implantado em Divinópolis será em alguma dessas áreas, com exceção da área de energia. Scarioli afirma que a escolha pelo município é devido ao fato de ser natural de Divinópolis. “Ainda não decidi a área de atuação, a única coisa que tenho claramente decidido é que gostaria de fazer um empreendimento, que pudesse dar uma modesta contribuição a Divinópolis em termos de geração de empregos, tributos e em termo de estímulo para desenvolvimento gerencial de pessoas. O detalhamento depende de variações de conjuntura, visto que o ambiente empresarial está com uma velocidade de mudanças acelerada”, declarou.


Romeu Scarioli destacou que está analisando as várias variações de conjuntura econômica, levando inclusive em conta a competitividade do mercado chinês. “Nós gastamos mais de dois anos para ter a parte documental de uma área adquirida com a Prefeitura. Se tivesse um projeto com uma cronologia muito clara de implantação teria tido algum tipo de dificuldade. Exatamente para não ter esse tipo de constrangimento só depois de ter as coisas formais absolutamente definidas é que irei detalhar o projeto. Logicamente também contemplando as várias variações já que algumas coisas que poderia fabricar não são mais viáveis de serem fabricadas no Brasil porque os chineses estão colocando aqui com uma condição impensável. Então nesses dois anos muitas coisas, que estavam pensadas não se aplicam mais e aquilo, que não era foco passou a ser oportunidade”, destacou
Scarioli afirmou ainda que é importante ter essa clareza de viabilidade do negócio,  visto que uma indústria abrange um investimento de longo prazo, ou seja é uma atividade em que os recursos financeiros são muito maiores e a necessidade do planejamento é essencial  com uma visão de médio e longo prazo. “Um empreendimento industrial tem que ser claramente estudado, porque depois que se começa a implantar não tem retorno”, ressaltou. O empresário informou que até setembro poderá anunciar concretamente qual será sua área de atuação, a geração de empregos e o valor que será investido nesse grande empreendimento a ser instalado nos 110 mil metros quadrados do Centro Industrial de Divinópolis.  

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.