Projeto 056 quase entra em votação após manobra

A lei precisaria de nove votos para inclusão, mas recebeu somente seis.

A lei de número 056/2013 que dispõe sobre a extinção de cargo de auxiliar de serviço na prefeitura de Divinópolis, há meses é debatida. Ora é colocada na pauta do dia na câmara e ora é retirada. Ontem, em forma de inclusão, o presidente Rodrigo Kaboja (PSL) surpreendeu quem estava no plenário da casa legislativa abordando que o projeto recebeu assinaturas para ser colocada em pauta novamente. Mas, apesar destas, a inclusão não obteve os votos necessários.

Segundo Kaboja, para que a inclusão fosse aprovada era preciso de novevotos, mas somente seis vereadores votaram a favor desta inclusão. Dessa forma o projeto foi prejudicado, porém tem a possibilidade, segundo Kaboja de entrar para a próxima pauta. “A inclusão é feita quando tem nove assinaturas e eu tinha mais de nove, nesse sentido sou obrigado a anunciar a votação da inclusão”, explicou.

O PMDB consciente de que esta manobra poderia ocorrer na “casa” encaminhou uma carta para o vereador e líder do partido, Adair Otaviano solicitando que ele e o vereador Hilton de Aguiar (PMDB) fossem contrários a inclusão e também votação do projeto. “O PMDB não concorda com a extinção de cargo de auxiliar de serviço, por isso o partido pediu para que eu orientasse o Hilton para votarmos contrário, a inclusão e votação do projeto”, declarou.

O vereador, Anderson Saleme (PR) destacou que estava surpreendido com a inclusão e que também votaria contrário.

Entretanto durante a votação os vereadores que votaram favoráveis a inclusão foram: Adilson Quadros (PSDB), Edimar Máximo (PHS), Edmar Rodrigues (PSD), Eduardo Print Júnior (SDD), Marcos Vinícius (PSC) e RodysonKristnamurti (PSDB).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.