quarta-feira, 25 de Abril de 2012 13:39h Carla Mariela

Projeto altera forma de denominar ruas em Divinópolis

Heloísa Cerri ressalta a importância da mudança na seleção de homenageados para a denominação de ruas, segundo a parlamentar, os moradores podem fazer a escolha que é feita por vereadores atualmente

A vereadora Heloísa Cerri (PV), na última Reunião Ordinária, apresentou aos parlamentares e para a Mesa Diretora, uma proposta que visa mudança no critário de escolha das pessoas que podem ser homenageadas na denominação das ruas da cidade. Em entrevista à Rádio Minas, a parlamentar relatou a importância que esse projeto possui. A proposta foi apresentada, entrou em tramitação na Câmara, e conforme, Heloísa Cerri, é fundamental porque tem o objetivo de modificar o sistema de denominação de ruas, uma vez que a seleção para ela deveria ser feita pelos moradores de bairros e não pelos vereadores assim como ocorre atualmente.
De acordo com a vereadora, esse projeto vai servir para o cidadão adquirir o seu direito de participar da escolha dos homenageados. “Quando você dá uma denominação de rua para um determinado bairro, você tem que realmente olhar com aquela população, com aquela comunidade, quem eles realmente queiram homenagear ali. Muitas vezes se diz que o vereador só tem como função dar nome a ruas, o que não é verdade, pois o vereador trabalha muito, obedecendo principalmente os princípios da administração pública, então o projeto, ao invés do próprio vereador escolher as pessoas homenageadas, o ideal seria a comunidade, a associação de bairros fazer essa escolha”, esclarece.
A parlamentar abordou que esse projeto já está sendo realizado em Belo Horizonte, com o vereador do PMDB, conhecido como Irani Barbosa, e ela achou fundamental trazê-lo para Divinópolis. “É justa essa homenagem, eu acredito que a denominação de rua é um direito do cidadão”, afirmou.
Ao ser questionada se o projeto poderia ser polêmico, uma vez que alguns vereadores já apresentaram suas opiniões dizendo que os representantes do povo são os parlamentares, Heloísa Cerri, respondeu que é um projeto que ela acredita talvez não seja de interesse deles, sendo que ela acha que o interesse é fundamentalmente da população. “O vereador não é capaz de reconhecer quem que seria a pessoa que a população queria homenagear, então nesse caso eu acho que isso é uma iniciativa popular e não acredito que seja uma iniciativa que deva sair do vereador. Eu acho completamente injusto e principalmente eu não retiro dos vereadores o poder de denominação de outras nomeações, como por exemplo, nomes de escolas, nomes de pontes, prédios, viadutos, mas eu acredito que o interesse maior é exatamente da população e não do vereador”, frisou.
Durante a entrevista, foi perguntado à parlamentar, como ficariam as questões referentes aos bairros que tem moradores mais antigos e que possuem história com o seu bairro, e como seria a aplicação desse projeto nos bairros novos onde há poucas pessoas morando e ainda não há uma identidade com o bairro. Após a pergunta, a vereadora relatou que mesmo a população sendo nova, ela tem um interesse que é muito mais claro que o interesse do vereador. “Para mim, o interesse popular, o interesse público vem na frente, e porque não, homenagear as pessoas realmente que aquele bairro quer. Isso será um tipo de acordo, porque vai ser uma votação por maioria, os moradores vão se reunir, vão chegar a um acordo sobre o nome, o que seria mais interessante para aquela comunidade”, disse.
Heloísa Cerri declarou que recebeu uma correspondência da Ivone Morato, representante da Associação de bairros, solicitando que os vereadores aprovassem esse projeto, pois a Associação recebeu a proposta de forma positiva. Ainda segundo a vereadora, uma parcela dos parlamentares já se manifestou dizendo que vai votar contra, mas que ela acha que se isso ocorrer, eles estarão votando contra o direito popular.
A parlamentar encerrou a entrevista, dizendo que o povo tem que ter o direito que é dele, e que deve ser homenageada aquela pessoa que eles acham que merece ser contemplada para ter o seus nomes nas ruas. “Esse projeto é uma forma de perpetuar na cidade, as pessoas, que a população achar que merecem ser homenageadas. Acho que isso teria que ser de interesse de cada associação de bairro, escolher as pessoas que devam ser homenageadas. Eu espero que os interesses do povo estejam acima dos interesses próprios”, encerra.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.