segunda-feira, 28 de Outubro de 2013 04:53h Atualizado em 28 de Outubro de 2013 às 11:59h. Carla Mariela

Projeto Complementar e Diagnóstico do Plano Diretor de Divinópolis são disponibilizados digitalmente

O diagnóstico-base do Plano Diretor está disponibilizado digitalmente o projeto dividido em duas partes para sua publicação digital. O anteprojeto foi entregue a câmara há quase um mês, mas ainda não tem uma data para ser aprecisado.

Após quase um ano de trabalho da equipe técnica da Funedi/UEMG, para a elaboração do Plano Diretor Participativo de Divinópolis, o projeto de lei complementar e diagnóstico do plano foram disponibilizados para a população. no site: http://www.funedi.edu.br ou http://planodiretordedivinopolis.wordpress.com/. O encaminhamento do plano para a câmara ocorreu no início do mês de outubro com a participação dos delegados eleitos representando a população, do professor Gilson Soares, do presidente da câmara, Rodyson Kristnamurti (PSDB), demais vereadores, o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), dentre outros.
O diagnóstico-base do plano foi dividido em duas partes para sua publicação digital. A primeira parte apresenta sete capítulos. Nesta parte estão relatados: a identidade cultural de Divinópolis, as diretrizes metodológicas para revisão do plano, evolução da ocupação do município, expansão espontânea dos primeiros bairros, expansão urbana desordenada, surgimento de condomínios fechados, as diversas centralidades o município, evolução urbana e aspectos demográficos, ocupação e estruturação rural, dentre outros diagnósticos.
Já a segunda parte apresenta oito capítulos. Nesta parte estão inseridas: a dinâmica das atividades econômicas, participação de empresas, criação de gastos de trabalho, rendimento do trabalhador, agropecuária e atividades rurais, mercado imobiliário, gestão da assistência social, sobre as regiões, gráficos explicativos, festas populares, estação ferroviária, educação, dentre outros.
Entretanto, ambas as partes descrevem os aspectos metodológicos implementados e o diagnóstico, com as leituras técnicas e comunitárias.
De acordo com o professor Gilson Soares, com base no diagnóstico foi proposto mais de cem diretrizes que devem nortear o desenvolvimento de Divinópolis tentando evitar os fatores que foram prejudicando a cidade ao longo do tempo. Ainda segundo Soares, a equipe técnica da Funedi/UEMG baseou-se na legislação do Estatuto da Cidade, nas legislações federais, estaduais e até mesmo municipal. Para ele, a entrega do plano para a casa legislativa representa a atualização de uma situação que tinha que ter sido feita há dez anos.

Câmara
Sobre a análise do plano na câmara, em nota à Gazeta do Oeste, o presidente Rodyson Kristnamurti, afirmou que o plano diretor é muito importante, e uma vez que o projeto tem uma alta complexidade, dessa forma não poderá ser analisado de um dia para o outro. "Ainda não há como precisar uma data para apreciação do Plano Diretor por se tratar de uma matéria complexa, mas garantimos que todos os vereadores estão trabalhando para que a aprovação aconteça com agilidade. Estamos estudando a matéria com atenção para que uma peça de tamanha importância não seja prejudicada por atropelos causados pela pressa. Os parlamentares querem garantir que os interesses dos cidadãos sejam preservados no Plano Diretor", informou.
Por fim, o projeto possui mais de oitocentas páginas. Durante o processo de elaboração deste plano diretor, várias questões foram levantadas e pesquisas foram realizadas. O intuito é ter uma cidade melhor para se viver, onde os moradores tenham mais qualidade de vida, onde haja proteção ao meio ambiente, justiça social, condições para o desenvolvimento das atividades econômicas e que cumpra sua função social.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.