terça-feira, 6 de Setembro de 2011 09:35h Flávia Brandão

Projeto da Proema será alterado.

Prefeito apresenta decisão hoje.Secretário afirma que “indefinição” da instalação está prejudicando a vinda de fornecedores

Hoje (6), o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) acompanhado do secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, José Elísio, estará presente em Belo Horizonte para reunião no escritório da YKS Serviços, que é a responsável pelos projetos da tão esperada empresa de auto peças, Proema, cotada para iniciar atividades em Divinópolis. Segundo José Elísio, no encontro com os representantes da empresa, o prefeito Vladimir irá tratar de questões decisivas. A exemplo, ele cita a decisão tomada pelo Prefeito - em conjunto com o setor urbanístico e econômico - a respeito da necessidade de alterar o contorno próximo a Proema, da futura Avenida Perimetral, que será construída ligando a DVL 120 (antiga Estrada do Lixão) a estrada de Carmo do Cajuru (MG-354). Além disso, será colocada a “pressão”, que os fornecedores da Proema, estão fazendo uma vez que querem iniciar suas atividades.

 

O secretário José Elísio explicou que o projeto Proema abrange uma área de aproximadamente 870 mil m2, sendo que um pouco mais da metade é da Prefeitura e a outra parte da empresa. Ele contou que o tamanho da área se justifica porque a Proema não é única empresa no terreno, ou seja, abriga também seus fornecedores, os quais atuam basicamente em áreas como: fundição, ferro gusa e outros serviços. Em conjunto Proema e fornecedores caracterizam “juridicamente e tecnicamente” uma APN - Área de Produção e Negócio, em forma de condomínio industrial, que é uma legislação que precisa ser regulamentada em Divinópolis.

 

Nesse contexto da APN da Proema, está prevista a construção de uma Avenida Perimetral, que irá ligar a rodovia DVL 120, antiga estrada do Lixão, até MG 345 estrada de Carmo do Cajuru. José Elísio conta que nesse projeto a Proema exigiu que a Avenida contornasse o terreno da empresa. Já os planejadores urbanísticos do Executivo - decisão acatada pelo prefeito e que será apresentada hoje a Proema - a proposta é que a Avenida corte o terreno em linha reta (ao meio) e economize 2 km de obras. O secretário conta que essa é uma “decisão urgente”, já que os recursos já estão liberados e autorizados pelos órgãos competentes como DNIT e DER, no montante de cerca de R$ 6 milhões e duzentos.

 

O secretário reforçou que “essa obra é uma das principais previstas no plano de Governo do Prefeito Vladimir” e que irá beneficiar cerca de 70 mil pessoas, ligando as regiões Noroeste (Icaraí Centro Industrial), Leste (Ferradura), e Sudeste (toda região do Interlagos).  “Os recursos estão em caixa  e foram destinados pelo Governo de Minas e já saiu a autorização para fazer o viaduto sobre o pátio ferroviário que é o pátio Hélio Torres. Esse é um dos principais projetos estruturantes da gestão do Vladimir. (...) Essa indefinição por parte Proema está atrasando essa obra, que é mais importante do que a própria Proema porque é de interesse público e que vai atender 70 mil pessoas”, disse.

 

Fornecedores

 

Além da alteração dessa Avenida Perimetral, José Elísio afirmou que outro ponto que será apresentado na reunião é a respeito da instalação em Divinópolis dos possíveis fornecedores dessa APN, os quais não produzem somente para a Proema e desejam iniciar suas atividades na cidade. “São fornecedores do mercado, eles vão abastecer a Proema com custo baixo porque está tudo interligado. E eles estão pressionando a Prefeitura porque eles querem montar logo”

 

Protocolo


O secretário esclareceu que essa decisão do prefeito Vladimir Azevedo será negociada com a Proema e com o Governo do Estado, já que o protocolo assinado em 2009 envolve os três entes. “Na verdade o projeto é fruto de um protocolo entre o Governo do Estado, Prefeitura e Proema, a Prefeitura não pode tomar atitudes unilaterais. A decisão o prefeito já tomou, agora irá formalizar essa decisão, que tem que ser feita de comum acordo porque foi formalizado um protocolo”, disse.

 

Demora


Questionado sobre a demora da empresa em se instalar no município, José Elísio revelou que a Proema é a empresa líder dessa APN e ela está nesse impasse de tomar a decisão em razão de ordem de mercado. “O setor automobilístico está importando muito e as empresas de autopeças brasileiras estão inseguras em relação a novos investimentos” destacou. Mas o secretário pontuou que a Prefeitura não pode esperar mais, porque essa indefinição vem gerando prejuízos. “Isso está prejudicando uma obra pública, que é a Via Expressa, os fornecedores que não são só da Proema e o caixa do Estado porque se fizer a Via Expressa em linha reta é um custo, se fizer em curva é outro”,  finalizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.