terça-feira, 9 de Abril de 2013 05:23h Atualizado em 9 de Abril de 2013 às 05:29h. Carla Mariela

Projeto de lei que estabelece critérios para estadualização da UEMG é assinado

A proposta possui um cronograma de trabalho com prazo máximo de 18 meses

O deputado federal Jaime Martins (PR/MG) e o deputado Domingos Sávio (PSDB/MG), participaram de um encontro ontem (08) com o governador Antônio Anastasia, sobre a estadualização das unidades associadas à UEMG. Na ocasião, o governador assinou o projeto de lei estabelecendo critérios para que a estadualização seja realizada.
Antes do encontro, a Gazeta do Oeste entrevistou Jaime Martins, que esclareceu que a estadualização da UEMG é um projeto antigo, é uma criação da própria universidade estadual de Minas Gerais. O deputado federal afirmou que estava torcendo para que a estadualização se efetivasse ainda com o governo Antônio Anastasia. Para Jaime Martins o processo de estadualização, que está em curso, do qual é parceiro e incentivador junto ao governo do estado, deve receber principalmente estudos financeiros e de viabilidade, uma vez que é importante dar continuidade aos ótimos resultados que discentes e docentes da Funedi vêm obtendo, seja na graduação, extensão e pesquisa. Nesse sentido, ele afirmou que a incorporação das fundações associadas à UEMG representa o fortalecimento da educação superior para todo o Centro-Oeste mineiro, pois democratiza o acesso a universidade. 
O deputado federal, Domingos Sávio, afirmou que desde o início da sua vida parlamentar ainda como deputado estadual lutava pela estadualização das unidades associadas à UEMG, como é o caso da Funedi em Divinópolis. Conforme, Domingos Sávio, o governador Antônio Anastasia, já havia dito durante a sua campanha, que seria enviado à Assembleia Legislativa este Projeto de Lei que estabelece um cronograma de trabalho, com prazo máximo de 18 meses para a completa estadualização. “A previsão é que sejam estadualizadas as unidades menores, como é o caso de Diamantina, Campanha e Carangola e em seguida, será a vez da Funedi em Divinópolis e demais unidades”, destacou.
Domingos Sávio acrescentou destacando que ontem (08/04), ao acompanhar o encontro onde o governador assinou o projeto, ele salientou que este foi um passo histórico e muito importante, uma vez que com esta atitude de Anastasia se resolve um problema antigo. “Nós sempre lutamos pela estadualização. Sempre tratamos do assunto com prudência para não fazer promessas precipitadas. Conseguimos o PROUEMG que ajuda muitos alunos, mas sabemos que no dia a dia das unidades associadas e na Funedi  é importante que o aluno se mantenha em dia com suas mensalidades. Portanto, agora veio à notícia das unidades associadas à UEMG se tornarem universidades estadualizadas e gratuitas”, abordou Domingos Sávio.
O diretor e professor da Funedi/UEMG em Divinópolis também ressaltou que esta proposta de discutir a estadualização já estava sendo prometida, mas baseada nas palavras de Gilson Soares, tem algumas unidades, por exemplo, que não tem como sobreviver mais, entretanto, ou elas se estadualizam ou elas fecham, então ele destacou que o projeto vai para a Assembleia, no qual permitirá a realização da incorporação delas.
A Funedi foi criada em 1964, com a criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Divinópolis (FAFID). A Funedi mantém sete unidades acadêmicas voltadas para a Educação de nível superior: INESP, ISED, ISEC, FACIG, ISAF, ISAB, e ISAP. Os diretores efetivos são: Gilson Soares como presidente, Miriam Fonseca como vice-presidente.
Por fim, a solenidade para assinatura do projeto de estadualização aconteceu no Palácio Tiradentes, tendo a presença do secretário de estado, Nárcio Rodrigues, demais lideranças políticas, os deputados federais Jaime Martins e Domingos Sávio. Portanto, ontem (8) foi assinado o projeto pelo governador e a mensagem será encaminhada para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), quanto ao projeto de lei que trata da referida estadualização das fundações educacionais associadas a UEMG.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.