quinta-feira, 14 de Julho de 2011 11:25h André Bernardes

Projeto Olho Vivo está em fase de análise de pontos

ACASP estuda pontos para instalação de câmeras do projeto Olho Vivo

O projeto que prevê a instalação de câmeras na cidade em pontos de grande índice de criminalidade, conhecido como “Olho Vivo”, está em fase de análise de quais serão os pontos onde serão instaladas as câmeras de segurança.


A previsão de investimento para a instalação das câmeras é de R$500mil. A Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública - ACASP está mapeando a cidade para escolher os principais pontos que receberão as câmeras. Serão quarenta pontos escolhidos. As câmeras filmarão 24 horas por dia estes locais e as imagens irão auxiliar na busca por criminosos que forem flagrados pelo vídeo.


As principais cidades do país adotaram o projeto e já mostram resultados. Em Belo Horizonte, a Polícia Militar (PM) anotou 993 roubos no Hipercentro em 2002, em 2006 o total de ocorrências foi 58,7% menor: 410. Outra queda expressiva (72,56%) no mesmo período, foi no registro de furtos, que despencaram de 6.941 para 1.904.  A quantidade de abordagens a pessoas em atitudes suspeitas subiu de 2.540, em 2002, para 9.584, em 2006.
O prefeito Vladimir Azevedo diz que a prefeitura está aguardando a ACASP concluir o mapeamento para começar a execução do projeto. “A Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública elegeu junto com os empresários que é a ACID e a CDL que tem que desenvolver o projeto e nesse quesito, por parte da prefeitura estamos aguardando o posicionamento da ACASP. Há uma interação com o governo do estado, com o secretário Lafayette Andrada e já houve uma audiência no governo federal, na secretaria nacional de Segurança Pública. A ACASP está terminando de fazer esse trabalho de definição dos 40 pontos de câmeras, que depende também do coronel major Gilmar que é um especialista nessa área na PM, então terminando esse trabalho técnico, terminada essa costura de financiamento do projeto, a prefeitura está sempre a disposição” disse Vladimir.
 

A população está aprovando o projeto. O vendedor Marcos Elias disse que as câmeras deverão inibir os criminosos. “Eu tenho medo de andar na rua à noite, mas com as câmeras, acredito que os criminosos ficarão inibidos de agir. Além de facilitar o trabalho da polícia na identificação dos bandidos” disse.

 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.