quinta-feira, 11 de Agosto de 2011 10:55h Atualizado em 11 de Agosto de 2011 às 11:04h.

Projeto para outorga da Medalha do Centenário

No início do ano de 2009, um Anteprojeto do Centenário elaborado pelo editor do Jornal Pinga-Fogo, Itamar de Oliveira, foi enviado ao prefeito então recém-empossado, Vladimir Azevedo, para efeitos de avaliação. Não houve retorno.


Em um dos seus capítulos demonstrava a pertinência e a oportunidade de se criar uma honraria que fosse concedida a partir da análise estrita do histórico de cada agraciado, independente da sua posição na pirâmide política, econômica e social – por entendermos que as escolhas meramente políticas comprometem de certa forma a legitimidade das indicações, quase sempre convertidas em troca de gentilezas. Uma data de tal magnitude precisa ganhar densidade em sua vocação.

 

 

O processo de escolha para outorga da Medalha do Centenário

 

Para evitar indicações político/partidárias, - como frequentemente é observado em eventos similares - a eleição de cada um dos personagens (vivos e falecidos) foi realizada pela Casa de Gravatá (Confraria dedicada à valorização das tradições e culturas regionais) para que a honraria seja bem destinada.


Em 2008 já se falava no anteprojeto original: ‘para que essas promoções obtenham a consistência desejada, é preciso demanda maior de tempo. Não se pode fazê-las da noite para o dia. Por esse motivo a necessidade de antecipar os eventos comemorativos para o período que precede a data propriamente dita. E por outro lado incentiva a oportunidade de criar o clima festivo de forma cadenciada e gradual, até que a apoteose seja alcançada em junho de 2012.’


Critérios de eleição

 

Divinópolis não pode negligenciar os valores que construíram seu centenário. Fica evidente que as indicações por critérios meramente políticos e econômicos, com poucas exceções, mostram-se por vezes apressadas, dado a pouca consistência imprimida por promotores de eventos com esse caráter e natureza.


Para evitar a elitização há a necessidade de se aglutinar todas as forças vivas do município para que possam conjuntamente participar: entidades patronais e classistas; poder público e privado; associações e clubes de serviço. Da pluralidade deste conjunto é certo que os merecimentos individuais e coletivos serão valorizados.

 

 


Evento de 2011

 

Observem que o ano do Centenário abrange a data de 2 de junho de 2011 a 1º de junho de 2012. Estamos, portanto, em pleno cumprimento do ano do Centenário, ao contrário do que geralmente é considerado.


Assim, foi escolhida a data de 26 de agosto de 2011 para a outorga das primeiras 50 medalhas, sendo 40 para personagens vivas e 10 para falecidos. A outra metade será entregue em data a ser marcada no primeiro semestre do ano que vem. A totalização da centena de medalhas pretende simbolizar a data dos 100 anos.

 

Entenda-se que os organizadores da Medalha do Centenário são favoráveis à outorga da homenagem por múltiplos segmentos, incluindo o político. A abrangência iria certamente trazer um grau maior de justiça aos cidadãos que ajudaram a fazer a História. Os organizadores da Medalha do Centenário apenas optaram pelo grupo dos pouco lembrados para receber honrarias e que são tão merecedores quanto os demais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.