sexta-feira, 17 de Agosto de 2012 11:05h Gazeta do Oeste

PT de BH diz que declarações de Délio são "factóide político-eleitoral"

 O diretório municipal do PT em Belo Horizonte reagiu nesta quinta-feira à acusação de que teria usado gravações ilegais para embasar as denúncias protocoladas na Justiça Eleitoral contra a chapa do prefeito Marcio Lacerda (PSB), que concorre à reeleição. De acordo com nota enviada pelo Partido dos Trabalhadores, a chapa adversária tenta criar um “factóide político-eleitoral” já que “não há grampos, há provas testemunhais”. Ainda de acordo com a nota, a representação protocolada no Ministério Público está fundamentada em “declarações feitas de próprio punho por servidores perseguidos e destituídos de seus cargos na Prefeitura de Belo Horizonte”. 

De acordo com o PT de BH, todos os cerca de 241 servidores foram demitidos “por negarem apoio ao projeto de reeleição do atual prefeito”. O partido alega que os documentos e declarações que integram a representação podem ser confirmados, “a qualquer momento”, no Ministério Público e pelos próprios servidores que fizeram a denúncia.

A legenda ainda pede que o MP se pronuncie rapidamente, para, segundo o diretório municipal, “se faça justiça e se restaure a moralidade na administração municipal”.

O deputado estadual Délio Malheiros (PV), acusou nessa quarta-feira o PT de ter usado gravações ilegais para embasar a denúncia feita pelo partido na Justiça Eleitoral contra a chapa encabeçada pelo prefeito Marcio Lacerda. O PT entrou, no domingo, com pedido de cassação do registro da candidatura de Marcio Lacerda por abuso de poder político e econômico no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), alegando que funcionários do Executivo municipal estariam sendo pressionados a apoiar a candidatura do prefeito e fazer campanha para Lacerda sob pena de serem demitidos. Eles também protocolaram uma representação no Ministério Público estadual por improbidade administrativa.

 

 

Acusação mantida

 

Por meio de nota, a coligação “BH Segue em Frente” afirmou na noite desta quinta-feira que sustenta a acusação feita pelo deputado estadual e candidato a vice-prefeito Délio Malheiros em relação ao grampo realizado por um petista contra os colegas.

O comunicado destaca ainda que a chapa adversária tem divulgado números errados em relação aos servidores petistas exonerados após o fim da aliança entre o PT e o PSB. Segundo a coligação, 86 servidores foram exonerados de cargos comissionados, dos quais 48 deixaram a administração municipal.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.