segunda-feira, 5 de Novembro de 2012 02:28h Gazeta do Oeste

Retomada do julgamento ocorrerá em meio à discussão sobre novo depoimento de Valério

O julgamento do mensalão será retomado na próxima quarta-feira, em meio à polêmica sobre o novo depoimento que teria sido concedido pelo empresário Marcos Valério à Procuradoria Geral da República. Nesse depoimento, ele teria dito que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi extorquido por um empresário que o ameaçava envolvê-lo no caso de desvios de recursos na administração do prefeito de Santo André, assassinado em 2002. Marcos Valério, que tenta o benefício da delação premiada, foi o primeiro réu a ter as penas calculadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A punição, fixada em mais de 40 anos de prisão, pode ser reavaliada. A Ação Penal 470 está na fase final, a da dosimetria.

Ainda pairam expectativas sobre a possibilidade de Marcos Valério conseguir algum tipo de benefício caso ele apresente provas inéditas ou alguma colaboração significativa para elucidação do caso. Ontem, a assessoria de imprensa do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que a PGR não irá comentar as informações recentes. Magistrados da Suprema Corte e integrantes da procuradoria asseguram, no entanto, que o julgamento do mensalão, previsto para terminar neste mês, não será influenciado por novas apurações. Ontem, o Estado de Minas publicou reportagem em que o ministro do STF Marco Aurélio Mello afirma que "novos fatos podem frutificar em outros processos, em outras áreas jurídicas, mas não na AP 470". O ministro já tinha afirmado que não vê como Marcos Valério não ser preso.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.