terça-feira, 8 de Maio de 2012 09:53h Carla Mariela e Daniel Michelini

Rio Itapecerica despoluído em 2016

A assinatura de ordem de serviço para a despoluição do Itapecerica aconteceu ontem no auditório da AMVI. O projeto será realizado com a parceria entre a prefeitura e Copasa

Ontem, pela manhã, na Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Itapecerica (AMVI), o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), assinou uma ordem de serviço para que o Rio Itapecerica seja despoluído. O projeto já estava sendo debatido durante algumas reuniões com a parceria da Copasa, e ontem no auditório da AMVI, foi ressaltado que o projeto será colocado em prática.
Além da assinatura, o prefeito também destacou a programação oficial do Centenário. Estavam presentes no local, o presidente da Copasa, Ricardo Simões, o presidente de operações Centro-Leste, Valério Gamboji, o Secretário de Governo, Antônio Faraco, o presidente da Câmara Municipal, Anderson Saleme (PR), o Deputado Federal, Domingos Sávio (PSDB), dentre outros.
De acordo com Vladimir Azevedo, a assinatura para início dos trabalhos de despoluição do Rio e a apresentação da agenda oficial do Centenário, é um dos maiores presentes na sua gestão. “Pra mim, como prefeito, com a responsabilidade que este cargo me traz, o início da despoluição do Rio Itapecerica é o maior presente do Centenário. Aqui, nós apresentamos tantas obras, ações, eventos para o Centenário que teremos. Esse foi o grande norte do nosso governo desde o primeiro ano com a criação do Conselho e com muito trabalho em todos esses anos. Essa data tem um simbolismo muito forte por tudo que nós trabalhamos nesse governo para chegar nesse ponto de poder assinar essa ordem de serviço e as primeiras licitações das obras e pelo significado que essa data traz para as futuras gerações”, ressaltou.
Durante o seu pronunciamento, o prefeito ainda citou algumas obras que já se tornaram prioridades em seu mandato. “Dentre os projetos estão o primeiro hospital público, o centro administrativo e tantas outras coisas. Eu vejo que a despoluição do Rio Itapecerica carrega um simbolismo maior que talvez hoje nós aqui não possamos medir o que ele vai significar para a cidade e para as pessoas dessa cidade. Queremos que cada vez, ela seja melhor para se investir, para viver com qualidade de vida. Ainda não sabemos dimensionar para o bicentenário, para o tricentenário, a grandeza desse momento que é o início da despoluição do rio e se Deus quiser daqui cinco anos nós comemorarmos um Itapecerica 100% despoluído”, declarou.
Durante a entrevista, Vladimir Azevedo, foi questionado sobre a parceria entre a Prefeitura com a Copasa. “Foi uma experiência muito positiva que nós tivemos interlocução o tempo todo, acho que a prefeitura acertou em fazer um pré-projeto de concepção e trazer à mesa e a partir desse pré-projeto da prefeitura, a Copasa colocou boa vontade em somar conosco para viabilizar com o nosso projeto para a cidade, entendendo que nós somos o poder concedente e a Copasa é concessionária  e esse papel muito franco e parceiro possibilitou a construção da viabilidade da Copasa como uma empresa que quer o bem de todos Municípios, com os quais ela tem convênio. Ela cumpriu o seu papel junto com o Município e nessa parceria quem sai ganhando é a população. Estar aqui é um percurso de um fruto muito positivo dessa caminhada que fizemos juntos e temos muito a conquistar juntos”, acrescentou.
Sobre os custos desses investimentos, se foram municipais ou federais, Vladimir afirmou que, os custos são por parte da Copasa, são investimentos na ordem de R$150 milhões de reais. “Um dos pontos positivos é que a gente deixa de endividar o Município, porque se tivéssemos que fazer pelo Município, nós teríamos que endividá-lo, levar esse endividamento para as futuras gerações arcarem com ele. Com esses investimentos que vão somar a primeira ordem de serviço ,serão em torno de R$12 milhões e duzentos mil reais que nós colocamos aqui hoje junto com o edital de licitação lançado e vamos chegar em todo esses processos aos valores na ordem de R$150 milhões de reais”, disse.
O presidente da Câmara Municipal, Anderson Saleme, afirmou que a manhã histórica que ocorreu no auditório da AMVI é fundamental, pois é um sonho dos divinopolitanos. “A Câmara cumpre o seu papel fiscalizador, nós estaremos passo a passo na evolução das obras, é uma tarefa da Casa Legislativa, e que nós vamos cumprir com muita seriedade. O lançamento oficial que é hoje marca para nós um aumento muito importante, pois Divinópolis certamente sonhou com isso, não tivemos outros gestores em condições, com coragem, com essa determinação. O assunto é polêmico, sabemos que não é um assunto que vai ser de fácil acompanhamento, nós não temos os conhecimentos técnicos, mas temos a nossa facilidade junto com os envolvidos no processo de acompanhar passo a passo e evolução dos trabalhos. Se a gente é parceiro, então que sejamos na sua amplitude para que todos tenham a certeza que Divinópolis está no caminho certo”, abordou.
O Deputado Federal, Domingos Sávio, que também estava no encontro, ressaltou que de fato ele fica feliz com a realização do projeto. “Estou feliz porque o projeto será executado, mas também eu disse ao presidente da Copasa que a minha preocupação é que uma vez anunciada, as coisas devem ser cumpridas e executadas. Eu sempre tenho essa preocupação, e ela também é a preocupação e estilo do Governador Anastasia, pois ele não gosta de anunciar coisas que não vão ser feitas, é preciso anunciar e começar. Então nós falamos com o presidente da Copasa, que além do início da estação de tratamento de esgoto do Rio Pará que efetivamente, essa não tem dúvidas já está licitando aqui hoje e dentro de algumas semanas a gente deve ter a conclusão da licitação e o início das obras, é fundamental que ainda este ano a gente tenha a licitação, não só de interceptores, mas também de estação de tratamento do Rio Itapecerica”, afirmou.
Ainda segundo Domingos Sávio, o presidente da Copasa relatou para ele que a estação de tratamento de esgoto da cidade de Itapecerica começa a operar a 100% nos próximos dias. “Isso é importante porque quando a gente fala de salvar o nosso Rio Itapecerica, nós temos que cuidar dele desde a nascente e seguindo por Divinópolis até a represa de Três Marias que é sem dúvida a partir da sua confluência com o São Francisco, os principais afluentes do grande Rio São Francisco, então esse trabalho é um trabalho muito sério e que essa obra de Divinópolis seja prioridade total para a Copasa, pois é uma empresa competente, grande e tem convênios com muitas cidades e nós queremos prioridade para Divinópolis para que o tratamento de esgoto seja uma realidade mais breve possível para salvar o nosso Rio Itapecerica”, argumentou.
Contudo, em pronunciamento, o presidente da Copasa, Ricardo Simões, relatou que o encontro era o momento de cumprir com compromissos, mas que também era hora de fazer a prestação de contas. “Temos uma série de empreendimentos que nos comprometemos, mas é bom a gente reforçar que tivemos problemas sérios em relação ao abastecimento de água no ano passado, nos comprometemos há um ano de empreendermos ações que possibilitassem sanar essa questão. Contratamos a obra, estamos com a obra em andamento, estabelecemos um cronograma de forma que nós possamos, a medida que as etapas da obra sejam concluídas, nós possamos colocá-la em operação e com isso já trazer os benefícios dessa obra. Ainda nesse mês vamos publicar a licitação da ampliação da Estação de tratamento de água (ETA), vamos passar a capacidade da ETA para 30%, um aumento relevante e isso vai dar mais tranquilidade em relação da produção na nossa cidade. Estamos hoje autorizando a publicação da licitação e portanto já começa a correr os prazos legais para a contratação  e posteriormente a execução das obras”, relatou.
Sendo assim, Vladimir Azevedo, juntamente com o presidente da Copasa, Ricardo Simões, assinou a ordem de serviço para a despoluição do Rio Itapecerica e apresentou a programação oficial do Centenário. Os vereadores, Pastor Paulo César (PRB) e Geraldinho da Saúde (PR) também prestigiaram o encontro.

 

Rio Itapecerica será revitalizado até 2016

Parceria entre prefeitura e Copasa foi firmada ontem. Obras começarão em 2013


Foi assinado na manhã desta segunda-feira (07), no auditório da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Itapecerica (AMVI), o documento que autoriza o início das obras de despoluição dos rios Pará e Itapecerica. Estiveram presentes na solenidade o prefeito de Divinópolis Vladimir Azevedo, o presidente da Copasa Ricardo Augusto Simões e também o Diretor de Operação Centro-Leste (DCL) Valério Gamboji.
O presidente da Copasa, Ricardo Simões, fez questão de parabenizar a cidade pela relevante data: “Divinópolis é uma cidade muito importante para a Copasa. Ficamos muito orgulhosos de participar efetivamente desse projeto de despoluição dos rios Itapecerica e Pará”. Ricardo disse que o prazo para a total revitalização dos rios será demorado, variando de um a dois anos: “O do Rio Pará tem uma previsão de término em 15 meses. As obras começarão no início de 2013. Já o Itapecerica será mais demorado. Esperamos que seja concluída em torno de 24 meses”, disse o presidente. Sobre os problemas que ocorreram no ano de 2011 em relação ao abastecimento de água, Ricardo disse que já está sendo resolvido: “Tivemos, no ano passado, grandes problemas de abastecimento na região sudeste de Divinópolis, como nos bairros Padre Eustáquio e Dona Rosa.
Já estamos solucionando o problema para que não ocorra mais”. Serão construídas na cidade duas sub-bacias, que serão a Bagaço (Serra Verde) e outro no Vila Romana. Além delas, estará também em obras a construção da primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Vladimir salienta que este projeto é de grande importância para a região centro-oeste: “O simbolismo desse marco é, hoje, incalculável. As futuras gerações, quem sabe, poderão calcular a relevância disso tudo”. O prefeito também fez questão de ressaltar a seriedade com que está sendo tratada essa revitalização: “Há um ano, muita gente duvidava disso. Hoje, mostramos para a sociedade a seriedade do trabalho, mostrando não ser ‘conversa de político’. É um cronograma que tem previsão de término em 2016”, afirmou.
Outro marco relevante no trabalho é o aumento da Estação de Tratamento de Água do Rio Itapecerica (ETA). Segundo Ricardo Simões, essa idealização está servindo de exemplo para a região: “O ETA do Rio Itapecerica será ampliado em 30%, o que é bastante importante. Divinópolis está sendo exemplo para outras cidades por contar uma gestão que trata dos problemas ambientais. Muitos municípios que não tinham esse cargo incluíram esse espaço em suas prefeituras”, disse Ricardo.
O diretor de Operações Centro-Leste, Valério Gamboji, disse sobre o interesse da companhia na cidade: “A Copasa está muito interessada no processo de desenvolvimento de Divinópolis. Por isso, entramos nesse projeto por ser uma cidade importante no país”.
O presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Anderson Saleme, frisou a relevância do projeto: “Este é o maior investimento ambiental da história de Divinópolis e região. É importante para a população saber que estamos cientes das necessidades do município”. Saleme concluiu que sonha em ver o rio totalmente limpo: “A partir de hoje, esse projeto deverá ser prioridade da prefeitura e da Copasa. Tenho 40 anos e não me lembro do rio limpo. Muitos amigos, principalmente do bairro Porto Velho, já chegaram a nadar no rio”.
O custo total das obras será em torno de R$150 milhões. A primeira etapa do projeto terá valor de R$12,5 milhões. Será cobrada uma tarifa única pela empresa, do referente ao abastecimento de água e tratamento do esgoto.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.