sexta-feira, 20 de Junho de 2014 06:50h Carina Lelles

Rodrigo Resende permanece na Usina de Projetos por pelo menos mais um ano

Vice-prefeito acumula a função de superintendente da Usina de Projetos desde janeiro

Em entrevista exclusiva à Gazeta do Oeste, o vice-prefeito, Rodrigo Resende, afirma que permanece como interino na Usina de Projetos pelo menos até o fim do primeiro semestre de 2015.
O vice-prefeito acumula a função desde janeiro deste ano, quando o ex-superintendente, Lúcio Espíndola, foi afastado da função em cumprimento de determinação judicial. Inicialmente o afastamento seria de 180 dias, mas no último dia 11 foi publicada a exoneração de Lúcio. “Eu ainda continuo como interino, não tenho pretensão de ficar na Usina de Projetos até o final do mandato do prefeito, Vladimir, já discutimos isso”, revela Rodrigo.
Resende ressalta que há muito trabalho a ser realizado na pasta. “É um prazer muito grande trabalhar na Usina que é um dos órgãos do município que tem um volume muito grande de trabalhos a serem executados, de projetos a serem desenvolvidos, mas acredito que devo ficar na Usina por mais um ano. Se o prefeito quiser, também posso ficar na Usina de Projetos até o fim do mandato, não cabe só a mim esta decisão.”
Como a saída ainda é para o próximo ano, Rodrigo afirma que não há um nome em cogitação para substituí-lo. “Ainda não foi pensado por termos mais um ano pela frente. Possivelmente, se houver um substituto, deverá ser alguém que está dentro do projeto do governo Vladimir, alguém de dentro da própria Usina para assumir este cargo, que esteja bem engajado, inteirado com os assuntos da Usina”, finaliza.

 

 

 

Relembre o caso
Em dezembro do ano passado, Lúcio Espíndola, ex-superintendente da Usina de Projetos, Dárcio Abud Lemos, ex-secretário municipal de Saúde e os servidores, Cléber Aguiar Evangelista e Alexandre Lacerda Guimarães, foram afastados do cargo por 180 dias. Na época, nota enviada pela Prefeitura dizia que “a medida cumpre determinação judicial, assinada pelo Juiz Mauro Riuji Yamane, que deferiu liminar, na qual cita os referidos ocupantes de função pública, em procedimento investigatório originado na gestão 2005/2008, anterior aos mandatos do prefeito Vladimir Azevedo.”
Durante estes seis meses os funcionários afastados dos cargos continuaram a receber os salários. No dia 11 deste mês foi publicada a exoneração de Dárcio Abud e Lúcio Espíndola. O prefeito tomou a medida nove dias antes de completar o afastamento temporário dos dois secretários.

 

 

 

Crédito: Carina Lelles

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.