terça-feira, 26 de Novembro de 2013 03:49h Carla Mariela

“Sem dúvida que esta proposta pode prejudicar a população. A minha preocupação é com relação ao aumento de impostos, porque um acréscimo nunca é bom.”

1) Qual é o balanço que você faz do seu mandato nesse ano de2013?

Faço um balanço muito positivo. Fui um dos vereadores mais aguerridos, que mais fiscalizou durante esse ano de 2013, uma vez que eu costumo falar na câmara, que tenho coragem de colocar o dedo na ferida. Graças a Deus uma das coisas que eu não tenho é falta de caráter, então eu posso dizer aos cidadãos divinopolitanosque eu fiscalizo com muito respeito, com muita ética.

2) O projeto CM 098/2013 de sua autoria, que estabelece critérios para autorização de contratação de operações de créditos foi um projeto bastante debatido na casa. Fale mais sobre a proposta:

Apresentei o projeto de lei CM098/2013 pelo qual se cria critérios para a autorização de contratação de operações de créditos em Divinópolis. Fiz isso porque o Poder Executivo começou a mandar para a câmara uma quantidade de projeto de forma desordenada com relação a estas contratações. Autorizamos o prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), a contrair alguns empréstimos, dentre eles, o de R$ 43.700 mil do PAC 1, mas um outro de aproximadamente R$22 milhões do PAC 2 e sucessivamente outros empréstimos. Mas, não estou vendo a forma com que esse dinheiro está sendo gasto por meio da prestação de contas rigorosa apresentada à câmara municipal e ao cidadão. Tive a ideia de apresentar este projeto criando critérios, como por exemplo, juros e carência dos empréstimos, prazos e forma de pagamento, e caso constem somente em anexo, estes também deverão ser parte integrante da lei. Também dentre os critérios, está à capacidade de endividamento do município. A câmara vai autorizando a prefeitura a fazer essa quantidade de empréstimo, mas não pode deixar de monitorar a capacidade de endividamento. Estou lutando contra isso e valeu apena apresentar este projeto, mesmo com uma emenda do vereador Rodrigo Kaboja (PSL) para algumas mudanças, ela foi aprovada.

3) Quanto aproposta do Executivo sobre o aumento do IPTU que deve chegar à casa legislativa. Qual sua opinião sobre o projeto e você considera esta proposta prejudicial para a população?

Sem dúvida que esta proposta pode prejudicar a população. A minha preocupação é com relação ao aumento de impostos, porque um acréscimo nunca é bom. Fico temeroso quando o prefeito manda algum projeto nesse sentido e esta proposta parece até que está sendo copiada do projeto do prefeito de São Paulo.  A lei não vai chegar à câmara abordando que é sobre aumento de impostos, ela vai chegar relatando que a administração está corrigindo o valor venal da planta de valores. Resumindo, esta correção é o aumento de impostos. Se o gestor tiver coragem de fazer isso, ele irá sim prejudicar a população. E já adianto vou votar contra. Espero que os demais vereadores tambémsejam contra este projeto porque estamos representando o povo e não o Executivo.

4) Você é um parlamentar que fiscaliza as denúncias que chegam ao seu gabinete. Quais foram as principais que você já teve conhecimento?

Eu fui um dos vereadores que mais colocou o dedo na ferida e por isso talvez eu seja mal interpretado, mas eu não quero que o governo faça uma avaliação do meu mandato. Eu quero que a população faça esta avaliação, desejo ser avaliado é pelo povo porque é ele que eu estou representando. Eu fiz alguns pedidos de comissões especiais na câmara e uma delas foi para apurar possíveis irregularidades do Programa Minha Casa Minha Vida. Fizemos um trabalho bem feito nesta comissão, só não ficou ainda melhor porque não tivemos documentos concretos que podiam dar melhor finalização, mas acho que a análise foi bem trabalhada e nós apuramos que há várias irregularidades. Temos casas alugadas, casas vendidas, casas abandonadas, temos pessoas que não precisam e que estão morando dentro das casas. Achamos isso o cúmulo do absurdo. Fechamos o relatório mostrando todas as irregularidades que encontramos, inclusive, que pessoas ganharam as casas, mas não sabemos como foi feita a avaliação. Esperamos que houvesse uma sindicância nesse sentido, para entregar estas casas e parece que não foi feito isso. Avaliamos que foram feitas inscrições em agosto período que antecedia as eleições e isso pode ter motivado o cidadão a votar no governo atual.Achamos que este foi um trabalho positivo, porque se corrigirmos o programa que está errado, outros não virão com a mesmafalha. Lá no conjunto Copacabana, por exemplo, as fossas já estão todas entupidas.Fossa é manutenção do Executivo, esta responsabilidade que seria da administração municipal está sendo atribuída as empresas que construíram as casas.
Em relação à denúncia do aeroporto Brigadeiro Cabral fiquei triste em saber que o local segundo o denunciante, é um espaço quepoderia estar dando lucros, mas no entanto, ele está dando é prejuízos, isso porque, arrecada pouco, parece que se cobra um salário mínimo de cada dono de hangar, pelo terreno que é da União ou do Estado.A princípio falaram que o terreno seria da União, recentemente jáfiquei sabendo que o aeroporto está sob a tutela do Estado. Apesar de estar sob o comando do Estado; conforme o denunciante, o local temhangares de propriedade particular. O denunciante alega que o aeroporto está dando prejuízos porque o que se paga lá é muito pouco, a prefeitura recebe um salário de cada proprietário destes hangares. A administração gasta R$46 mil por mês e arrecada
R$19 mil. Outras cidades que tem aeroportos do porte de Divinópolis possuemespaçoslucrativos porque é algo que o Estado privatizou. Espero que o responsável (Estado Ou União) vendo as condições que o nosso aeroporto está funcionando, condicione o prefeito,a fazer este,render lucros, porque o espaço deve ser bem aproveitável, inclusive conforme o denunciante lá tem vários hangares e estes estão sendo alugados, até pessoas que não são donas de avião tem hangares e estão os alugando. Já que é para ser assim, que o município alugue, e se for do Estado ou União que privatize e arrecade em prol da cidade.
Outra comissão que solicitei, mas os trabalhos ainda estão em andamento é a referente ao funcionamento das boates da nossa cidade, depois daquele incêndio na Boate Kiss em Santa Maria no Rio Grande do Sul, não queremos que este fato ocorra em Divinópolis. Inclusive, vou apresentar um projeto que vai trazer segurança para o cidadão divinopolitano e região, quanto ao uso das boates.
Temos o projeto 081/2012 que foi a venda dos 243 imóveis, bens que poderiam ser aproveitados para o município. Sobre a Copasa, o projeto do esgoto que foi transferido para Companhia por meio de um decreto foi contra o cidadão.A comunidade já custava a pagar uma conta de água e criou uma porcentagem de esgoto a mais, 50% a mais, para um serviço que não está sendo oferecido.Quero destacar também sobre o projeto EM 39/2013, pelo qual o prefeito pede uma abertura de crédito adicional suplementar de aproximadamente R$22 milhões dizendo que existe um superávit na prefeitura. Como a prefeitura alegava estar até 31 de dezembro de 2012 quebrada, é difícil acreditar que existe um superávit. Como a documentação que chegou à câmara não foi suficiente para uma avaliação votei contra. Tem outro projeto que é para extinguir a função do auxiliar de serviço da prefeitura que eu também não comungo. Quero dizer que além dos trabalhos, estamos preocupados com a vida funcional da cidade e por isso fizemos uma parceria com o deputado federal, Newton Cardoso (PMDB), que está a pedido nosso enviando uma emenda parlamentar de R$500 mil para nossa prefeitura que será aplicada em obras de infraestrutura urbana.

5) O que a população pode esperar de seu mandato em 2014?

A população pode esperar um vereador trabalhando com muita seriedade, com muita ética, transparência. Todas as denúncias que chegarem ao meu gabinete vão ser debatidas porque eu não vou,com estes quase 14 anos de exercício político, me omitir quanto a nenhuma denúncia. Às vezes acabo prejudicando algumas pessoas, mas eu não estou dentro da câmara para proteger amigos e sim para trabalhar para o coletivo. A população pode contar comigo para o que for bom para a nossa cidade. Quero representar bem para que um dia eu não seja cobrado de uma forma diferenciada. Por isso consigo andar de cabeça erguida na cidade sem medo porque estou defendendo o povo.

6) Qual a sua opinião da audiência pública quantoa terceirização do hospital regional?

Eu sou contra totalmente a implantação da Organização Social (OS) para cuidar da nossa saúde no hospital público, porque a história que se vê das unidades que trabalham sob o regime deOS’s, é que mais de 50% são organizações mal intencionadas. Estou estudando estas organizações desde que foi aprovado o projeto na câmara para implantação das OS. Eu votei contrário.A história das organizações sociais não é boa. Quem estava na audiência pública viu que um dos representantes do Sintram, Alberto Gigante, conhecedor de saúde pública, mostrou que em Uberlândia foram desviados mais de R$300 milhões com OS’s; dinheiro que é tirado do povo.Eu penso que ante a todasestas histórias ruinspercebidas de desvio de dinheiro público, de conduta, com organização social, não devemosdeixar que esse serviço público do hospital, das Upas, seja regido pelas OS’s, e sim pelo município.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.