terça-feira, 5 de Julho de 2011 17:35h Atualizado em 6 de Julho de 2011 às 11:03h. Liziane Ricardo

Servidores do Ministério dos Transportes são exonerados

Jaime Martins avalia que situação não afetará base do PR, e PSDB protocolou representação no MPF

O governo federal determinou o afastamento da cúpula do Ministério dos Transportes. A decisão ocorreu depois de denúncias de superfaturamento em obras públicas apontadas em reportagem de uma revista de circulação nacional. A reportagem relatava que representantes do Partido Republicano (PR), ao qual pertence o ministro e a maior parte da cúpula do ministério, funcionários da pasta e de órgãos vinculados teriam montado um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina por meio de empreiteiras.


Para apurar o assunto, o governo federal criou uma comissão de sindicância e exonerou os servidores dos Transportes. A decisão foi publicada ontem (5) no Diário Oficial da União, no qual determina investigação do suposto superfaturamento de obras no Ministério dos Transportes e exonerou ‘a pedido’ um dos servidores envolvidos nas denúncias.


Na portaria publicada ontem, o Ministério dos Transportes designou três servidores para compor a comissão de sindicância, um assessor de controle interno e dois advogados da União. Os membros deverão investigar, conforme a determinação, “supostos superfaturamento de projetos e obras e desvio de condutas, envolvendo servidores do Ministério dos Transportes, da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S/A e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)”.

 

 

PR

 

Sobre a reportagem ‘O  mensalão do PR’, o Ministério dos Transportes informou através do Ministro de Estado dos Transportes, Alfredo Nascimento: “rechaça, com veemência, qualquer ilação ou relato de que tenha autorizado, endossado ou sido conivente com a prática de quaisquer ato político-partidário envolvendo ações e projetos do Ministério dos Transportes”. Diante da relevância dos e da ausência de provas, Nascimento decidiu instaurar uma sindicância interna para apurar rápida e rigorosamente o suposto envolvimento de dirigentes da Pasta e seus órgãos vinculados nos fatos mencionados pela revista.
O representante maior do PR em Divinópolis, o deputado federal Jaime Martins (PR), comentou que devido sua agenda de compromissos em Belo Horizonte, à considerar ainda o falecimento do senador Itamar Franco (PPS), se interou sobre o assunto apenas pelo que já foi publicado pela própria mídia. Porém pode avaliar que a presidente Dilma Rousseff (PT) está sendo muito firme em suas decisões. “A Dilma terá o nosso apoio, mas a princípio acredito que esta pode ser uma briga mais de interesses internos ou pessoais de alguns integrantes da legenda”, frisou.


A reportagem questionou ao deputado sobre sua visão em relação ao assunto, e o republicano afirmou que se preocupa com a situação das denúncias, e ressalta: “é preciso mesmo apurarmos, pois queremos participar de um governo limpo e com transparência. Não apoio nenhum tipo de negligência. É claro que se for o caso de terem ocorrido desvios, não serão fatos fáceis de se desvendar, mas que tudo seja realmente apurado com cautela”.


Para o republicano este não é um assunto que é livremente discutido dentro do partido, uma vez que Jaime Martins se disse pego de surpresa sobre as denúncias.  O divinopolitano acredita que as denúncias sejam fruto, ou repercussão de brigas políticas internas, e em contra partida a este tipo de posicionamento, a reportagem questionou ao deputado se este tipo de situação não poderia enfraquecer o PR? E sobre este contexto, Jaime Martins avaliou: “não acho que seja um caso de enfraquecer a legenda, uma vez que temos inúmeros deputados compondo a bancada. Pode sim ser um caso de enfraquecer políticos no seu individual”, finalizou o republicano.   

  


APURAÇÕES e ESCLARECIMENTOS

 

Para garantir o pleno andamento da apuração e a efetiva comprovação dos fatos imputados aos dirigentes do órgão, o Ministro Alfredo Nascimento comunicou que os servidores citados serão afastados de seus cargos, em caráter preventivo e até a conclusão das investigações.


Foram desligados temporariamente os servidores: Mauro Barbosa da Silva, Chefe de Gabinete do Ministro; Luís Tito Bonvini, Assessor do Gabinete do Ministro; Luís Antônio Pagot, Diretor-Geral do DNIT; e José Francisco das Neves, Diretor-Presidente da Valec; será formalizado a partir da próxima segunda-feira, 04/07, pela Casa Civil da Presidência.


Já a bancada de oposição, ou seja, o PSDB pediu esclarecimentos sobre as denuncias dos Transportes, e o líder do partido, deputado Duarte Nogueira, protocolou às 14 horas de ontem, duas representações no Ministério Público Federal (MPF): solicitando a abertura de investigações sobre suposto esquema de cobrança de propina no Ministério dos Transportes e também sobre possível crime de prevaricação por parte do ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Jorge Hage.


Contudo, a reportagem da Gazeta do Oeste tentou contato com o deputado federal, Domingos Sávio, vice líder da bancada, o qual sua assessoria de comunicação informou que: “o PSDB está de olho neste escândalo do PR no Ministério dos Transportes, mas ainda não tem nenhuma informação oficial por parte do deputado Domingos Sávio”.


No fim da tarde de ontem, a Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle do Senado aprovou o convite para o ministro Alfredo Nascimento prestar depoimento para explicar as denúncias de superfaturamento em contratos e licitações da pasta e órgãos ligados ao ministério. Também foram convidados a depor o diretor-afastado do Dnit, Luiz Antonio Pagot, o presidente afastado da Valec, José Francisco Neves e dois assessores de Nascimento --que também deixaram os cargos. Os convites são de autoria dos senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.