sexta-feira, 9 de Novembro de 2012 04:05h Carla Mariela

Sintram se reúne com membros do Poder Executivo

O diretor do Sintram, João Madeira, juntamente com outros membros do sindicato dos trabalhadores se reuniu recentemente com os representantes da prefeitura de Divinópolis

O diretor do Sintram, João Madeira, juntamente com outros membros do sindicato dos trabalhadores se reuniu recentemente com os representantes da prefeitura de Divinópolis: o procurador-geral Dr. Kelsem Rios, o secretário de Planejamento e Gestão, David Maia, e o secretário de Fazenda, Antônio Castelo, para que esses representantes pudessem explicar aos diretores do Sintram, sobre os motivos que fizeram com que os servidores fossem exonerados dos seus respectivos cargos, uma vez que esse ato está relacionado com o decreto 10.851, publicação oficial feita pelo prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), após queda do repasse do Fundo de Participação (FPM).

 


Para Madeira, o decreto mexeu com a estrutura dos servidores públicos e da população. Ele afirmou que sendo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores, não pode permitir que os servidores fiquem sem receber os seus direitos. “Se houve essa demissão, isso é claro para nós, mas o servidor tem o direito das suas férias proporcionais, seu décimo terceiro proporcional, da multa pelo rompimento de contrato. O servidor não pode ser exonerado e ficar sem um suporte”, desabafou.

 


Nesse sentido, Madeira declarou que já foi feito o pedido para o procurador-geral, Dr.Kelsem Rios, para que ele olhe para as questões dos contratos e direitos dos servidores e afirmou que o setor jurídico do sindicato já se colocu à disponibilidade para atender os servidores exonerados que precisarem de auxílio.

 


Em entrevista a Gazeta do Oeste, Dr.Kelsen Rios, esclareceu que nessa reunião com o diretor João Madeira,  David Maia e  Antônio Castelo, no Sintram serviu para esclarecer detalhes do decreto 10.851 e pedir a compreensão dos servidores. “Nós fomos ao Sintram para dar garantias sobre o decreto, para que não haja mal entendidos. O que ficou claro foi o seguinte, a prefeitura tem um papel que ela vai cumprir e o sindicato tem o papel que ele vai cumprir. Nós fomos mostrar aos membros do sindicato, que há fundamentos no decreto, que não é um ato político, nem uma desculpa de governo. Fomos mostrar dados desse decreto e pedir a compreensão dos trabalhadores”, declarou.

 


Após essa reunião com os representantes do governo, o Sindicato fez a convocação de uma assembléia extraordinária a se realizar na Câmara Municipal e discutirem mais uma vez o decreto. “O encontro acontecerá às 15hs30min. No  Poder Legislativo, e esperamos um grande comparecimento dos servidores”, reforçou.

 


A reportagem entrou em contato com o procurador-geral para confirmar se a prefeitura recebeu esse convite e se, Kelsem Rios, poderia adiantar o que seria debatido nessa nova reunião, ou caso ele não soubesse, que indicasse alguém que pudesse falar sobre o assunto, mas ele não foi encontrado.

 


Segundo informações do setor de comunicação da prefeitura, realmente haverá essa Assembleia na Câmara, onde serão discutidas as medidas que foram anunciadas pela administração.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.