quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014 04:35h Carla Mariela

Sintram sinaliza indicativo de paralisação por melhores salários

Item foi uma das pautas de assembleia geral do sindicato. Nova reunião deve ser marcada em até quinze dias.

A diretora do Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram) concedeu uma entrevista ontem à tarde para a Gazeta, para explicar o que ficou definido na recente assembleia geral que ocorreu no sindicato e quais os itens que foram debatidos com os servidores.

De acordo com Ivanete Ferreira na assembleia foram debatidos três assuntos: o primeiro para tratar sobre a mesa de negociação, o segundo para abordar sobre a definição da central sindical e o terceiro para discutir sobre o projeto 056/2013 que aborda a extinção do cargo de auxiliar de serviço na prefeitura de Divinópolis.

Em relação à mesa de negociação, Ivanete Ferreira, deixou claro que foi passado para os presentes sobre como está à situação da mesa. Segundo a diretora do Sintram a mesa de negociação vem se arrastando há mais de um ano e os servidores estão querendo uma medida mais drástica em relação às questões que são tratadas pela mesa para as coisas caminharem. Entretanto, ficou definido no encontro que pode haver uma convocação especificamente de uma nova assembleia para campanha salarial. E esta conforme a diretora será com indicativo de paralisação. “Dentro da primeira quinzena de março nós estaremos convocando as pessoas para esta assembleia”, afirmou.

Já sobre a questão da central sindical Ivanete explicou que este assunto será definido porque existem ainda algumas dúvidas. Quanto a esta questão ela informou que os servidores serão ouvidos para facilitar. Quanto as dúvidas do projeto 056/2013, conforme aponta a representante do sindicato, estas não foram esclarecidas. “O pessoal está empenhando em entender esta proposta de lei, porque não está satisfeito. A lei 056/2013 não está na pauta da próxima reunião da câmara, mas mesmo assim estaremos na casa legislativa. O vereador Anderson Saleme (PR) chegou a fazer um abaixo assinado pedindo o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) para desmembrar este projeto, mas só sete dos vereadores assinaram”, relatou.

Ainda sobre o desmembramento, Ivanete esclareceu que isso se deve ao fato do projeto ter uma parte de decisões dos cargos e uma outra parte que regulariza a questão do desvio de função. Ela desconhece como se dá esta regularização. A diretora comenta que para haver a regularização, esta será por meio de concurso público, ou seja, a pessoa que prestou concurso público para auxiliar de serviço ela vai aposentar como auxiliar de serviço seja onde ela estiver.  “Só que o auxiliar de serviço no PCCS é apontado como uma atividade correlata, ou seja, eles estão tirando a palavra correlata e se há esta retirada pode haver outras funções de menor complexidade. Como isso está colocando servidor contra servidor, a minha opinião particular, e que não tem haver com ninguém do sindicato, é a de estar contra qualquer desvio de função, acho que se você prestou concurso você vai exercer aquilo, você quer fazer outra coisa, a prefeitura que abra concurso e regularize, não tem problema nenhum. Agora, o sindicato não quer colocar servidor contra servidor. Então desmembra o projeto”, encerrou.

Portanto, dentro da primeira quinzena de março o Sintram convocará servidores para uma nova assembleia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.