quinta-feira, 12 de Setembro de 2013 05:40h Carla Mariela

Suposto abuso sexual em Cmei de Divinópolis é investigado

Após ouvir coordenadora do Cmei, um relatório será realizado. Os parlamentares irão acompanhar o andamento das investigações que já estão ocorrendo por meio da Polícia Civil

O suposto caso de abuso sexual, no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) do bairro Porto Velho em Divinópolis, contra uma criança de três anos, que teria ocorrido no dia 22 de maio, está sendo investigado pela Polícia Civil. A notícia foi comentada por vereadores da Câmara municipal da cidade, durante pronunciamentos na reunião ordinária da última terça-feira.

 


Após discursos dos parlamentares, o presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Eduardo Print Júnior (PDT); o presidente da Comissão Direitos Humanos e Defesa Social, Hilton de Aguiar (PMDB); com o apoio dos vereadores Marcos Vinícius (PSC) e Edimar Félix (PHS) decidiram realizar uma oitiva no local para apurar as denúncias. Eles compareceram ontem pela manhã no Cmei, junto com o promotor de justiça da Vara da Infância e Juventude, Dr. Carlos José e Silva Fortes (Casé) e a secretária municipal de Educação, Eliana Cançado.

 


Após este encontro, o promotor ressaltou que é muito importante esse interesse dos poderes legalmente constituídos, tanto dos parlamentares, quanto do município através da secretaria de educação, em acompanhar o caso. Segundo ele, o fato está realmente sendo investigado, sequer se sabe onde ocorreu, mas já está nas mãos da Polícia Civil. Ao concluído será enviado para o Ministério Público como manda a lei.

 


Quanto ao Cmei, o promotor afirmou que o local está funcionando perfeitamente e que as crianças estão sendo bem atendidas e felizes. “Foi fundamental esta vinda no Cmei para tomarmos conhecimento de como ele se encontra. A situação está sob controle. O que tinha que ser apurado está sendo apurado pela Polícia Civil e o Cmei está funcionando normalmente”, destacou.

 


O vereador Marcos Vinícius relatou que ele ficou mais tranquilo com a visita, uma vez que o fato ocorreu no dia 22 de maio e muito pouco se tinha da informação das devidas apurações, por parte da prefeitura com inquérito administrativo; e no aspecto penal e criminal que já está ocorrendo através da delegada Dra. Gorete Rios.

 


Conforme Vinícius a participação do promotor foi essencial e foi bom ter escutado a coordenadora do Cmei, e a secretária de educação que trouxe tranquilidade. “É prematuro apontar qualquer culpado sem ter provas, mas vamos acompanhar as apurações. Há comprovação pericial de que houve um rompimento do hímen de uma criança de três anos, não se sabe se foi aqui ou em outro lugar”, informou.

 


O parlamentar, Eduardo Print Júnior, disse que o caso é triste. Para ele, infelizmente aconteceu na data 22 de maio, na semana que houve uma passeata contra a pedofilia. Ele explicou que a Câmara vai fazer um relatório entre as comissões de educação, direitos humanos e justiça social. “A polícia já está investigando. Vamos fazer um relatório e uma nota de repúdio ao Governo do Estado para que se mande para Divinópolis urgente médicos legistas para que um caso como esse não demore 90 dias para sair um laudo”, relatou.
O vereador, Edimar Félix e Hilton de Aguiar abordaram que os parlamentares vão acompanhar e aguardar a conclusão do inquérito policial.

 


A secretária de Educação, Eliana Cançado, relatou que a secretaria de educação já afastou a funcionária das funções, um processo administrativo também está sendo instaurado. “O Cmei sempre trabalhou com muita tranquilidade. Se a funcionária em questão tiver alguma culpa comprovada, claro que ela vai responder por isso. O nosso foco é a segurança das crianças”, concluiu.

 


Nenhum funcionário do Cmei quis gravar entrevista.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.