sexta-feira, 16 de Agosto de 2013 07:07h Carla Mariela

Tratamento do esgoto

Vereador questiona local de audiência pública sobre PPP

O vereador, Adair Otaviano (PMDB), questionou sobre a audiência pública sobre a Parceria Público Privada (PPP) para o tratamento do esgoto de Divinópolis ser realizada em Belo Horizonte, já que o assunto é de interesse do município.


Segundo o parlamentar, em seus discursos no Poder Legislativo ele já abordou muito sobre esta Companhia de Saneamento. Para ele a Copasa é uma empresa que não tem respeito com o cidadão. Ela enxerga Divinópolis como meio de adquirir lucros.


Adair Otaviano relata que o dinheiro que ela recebe do contribuinte, não é investido em Divinópolis e sim em outros municípios. Ele ainda alegou que a empresa deixa faltar água na maioria dos bairros da cidade, além de não conseguir fazer um bom trabalho com relação ao tratamento da água. “O que eu fico indignado é que Copasa pegou a responsabilidade de tratar o esgoto e estando a pouco mais de dois anos da concessão na mão dela, ela está transferindo o esgoto para uma empresa através de uma Parceria Público Privada (PPP) no contrato firmado no dia 21/06/11”, destacou.


O parlamentar disse que quando a Copasa pegou o serviço do esgoto, ela não pegou para tratá-lo e sim para colocar o lucro no bolso e pegou sabendo que ia terceirizar os serviços.
Otaviano estava indignado com o local da audiência para tratar assunto de Divinópolis. “A audiência pública será na cidade de Belo Horizonte, uma vez que essa audiência pública deveria acontecer em Divinópolis. Estão tratando de um serviço do nosso município, os interessados são os divinopolitanos. Eu acho uma falta de respeito por parte da empresa. Eu responsabilizo não só a empresa, mas também o governador do estado de Minas Gerais, Antônio Anastasia e ainda responsabilizo o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, porque ambos os contratos foram assinados entre o município e o estado pelas pessoas representantes. E qual o acesso que os divinopolitanos terão nesta audiência?”, indagou.


Ele explicou que encaminhou um ofício ao promotor Dr. Ubiratan Domingues para que o promotor possa usar dos meios legais para barrar esta audiência pública em Belo Horizonte para que ocorra em Divinópolis, haja vista que a PPP consta no contrato de concessão. “Que pelo menos possamos discutir o assunto, aqui na nossa cidade porque isso mostra uma falta de respeito com os divinopolitanos”, ressaltou.
A audiência pública está marcada na capital mineira no dia 21, às 10h da manhã e o ofício encaminhado para o promotor por meio do vereador foi na última quarta-feira.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.