sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014 06:05h Carla Mariela

Tribuna solicita melhores condições no bairro Santa Tereza

Andréia Martins usou a tribuna livre para solicitar mais atenção ao bairro Santa Tereza, no que tange a questão da acessibilidade.

Segundo Andréia, ela quer ter mais dignidade para pelo menos conseguir transitar pela rua onde mora.
De acordo com a tribuna, a sua maior dignidade é sair da sua casa para ir trabalhar e voltar para a residência. Ela explicou que no local tem muita terra e está se tornando um buraco, e principalmente em época de chuva complica mais a situação.
Andréia ressaltou que fica indignada, uma vez que já aconteceu da sua cadeira de roda quebrar ao passar no local e ela que teve que gastar, pois é ela que dá a manutenção na cadeira. Esta reivindicação segundo ela, vem desde 2005 quando o seu irmão compareceu à câmara municipal e fez esta mesma reclamação.
Quanto ao ônibus adaptado de viagem, ela enfatizou que isto é uma ilusão. Para Andréia, isso é propaganda enganosa. “Sinto até vergonha com esta questão de ônibus que dizem que são adaptados. Outra questão que me deixa indignada é a questão do banheiro, acho que deveria ter banheiro central adaptado”, frisou.
Para finalizar a tribuna esclareceu que a sua deficiência é na medula da coluna. Conforme Andréia ela tem consciência que não vai ter saúde a vida toda, pois vai chegar um tempo que não poderá sair da cama. “Este é o meu futuro, mas estou preocupada com o meu presente”, declarou.
A tribuna encerrou dizendo que ela acha a palavra acessibilidade um termo muito bonitinho. O que ela quer é respeito, o poder de ir e vir. “Não é acessibilidade a palavra certa, e sim dignidade porque eu me considero uma cidadã divinopolitana digna. Não tenho o retorno, a única coisa que eu peço é dignidade para sair e voltar da minha casa”, concluiu.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.