terça-feira, 16 de Outubro de 2012 10:15h Gazeta do Oeste

TV Brasil mostra série especial sobre Operação Condor

A união de seis países – Uruguai, Paraguai, Argentina, Bolívia, Chile e Brasil, então em regime de ditadura militar, ficou conhecida como Operação Condor. Oficialmente criada em uma reunião no Chile, em 1975, a ação conjunta visava a reprimir grupos de esquerda que contestavam as ditaduras do Cone Sul.

 

Foi por meio dessa ação conjunta que os serviços de inteligência trocaram informações sobre militantes políticos que moravam em outros países, fora da nação de origem. Em um primeiro momento, houve apenas troca de informações. Depois, foram operações conjuntas de prisão, tortura e troca de prisioneiros.

 

O historiador e coordenador do curso de história da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Enrique Padrós, conta: “Ela [a Operação Condor] significa um amadurecimento de intercâmbio repressivo, de intercâmbio de inteligência. E ocorre em um contexto em que toda a região está praticamente marcada pela imposição das ditaduras de segurança nacional, o que potencializa justamente esse intercâmbio.” A atuação do Brasil foi determinante. Para o presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos, Jair Krischke, “o Brasil não só criou a Operação Condor, mas também colaborou permanentemente com as ditaduras em volta do nosso país.”

 

A partir de amanhã (15), a TV Brasil passa a contar um pouco mais dessa história, ainda desconhecida de grande parte do país. Historiadores, parentes de vítimas, pesquisadores e documentos inéditos vão mostrar como a Operação Condor foi decisiva para a manutenção dos regimes de exceção. Com quatro reportagens, a série será exibida, sempre às 21h, no Repórter Brasil Noite, e reprisada às 8h no Repórter Brasil Manhã.

 

 

 

 

 

 

 

AGÊNCIA BRASIL

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.