quinta-feira, 11 de Setembro de 2014 05:13h Atualizado em 11 de Setembro de 2014 às 05:18h. Carina Lelles

“Uma cidade com mais de 200 mil habitantes não pode continuar nessa vida marginal”

Quem é Heloísa Cerri?

Sou médica ginecologista, obstetra e mastologista. Tenho três filhos que são meu orgulho maior e uma neta de oito meses. Sou envolvida com questões de saúde social. Muito antes de entrar na política já fazia na cidade campanhas de combate ao câncer de mama. Me envolvi na política em 2003 quando me apaixonei pelas propostas do Partido Verde (PV).

Quais as suas propostas caso seja eleita?
Cobrar do governo do Estado e da Nascentes das Gerais as devidas melhorias na MG-050, uma vez que a duplicação dessa rodovia não consta no contrato como obrigatória e só está saindo do papel porque o governo de Minas Gerais está destinando milhões de reais para o andamento da obra. A MG-050, diga-se de passagem, é uma vergonha para nossa cidade, que acompanha a construção do belo trevo de Itaúna enquanto os moradores e as empresas da região do bairro Icaraí têm que se contentar com um humilhante semáforo. Essa situação é a síntese da falta de respeito do governo do Estado para com nossa cidade, aliada à total inércia e falta de representatividade de nosso prefeito e do grupo de deputados que o apoia.


Precisamos de um distrito industrial moderno e de fácil acesso, para podermos receber boas indústrias e garantir o funcionamento das que ainda permanecem lá. Precisamos de um aeroporto decente e de linhas aéreas para Belo Horizonte, São Paulo e Brasília, pois grandes empresários e executivos de grandes empresas não viajam de ônibus ou de carro. Precisamos de progresso. Precisamos de muitas indústrias, que paguem ótimos salários aos seus funcionários.


População recebendo bons salários significa mais dinheiro girando no comércio, na indústria, na construção civil e menos pessoas dependendo do poder público para ter saúde e educação de qualidade.


Nós somos uma metrópole emergente e um pólo regional importante. Temos um entorno de mais de 1,5 milhão de habitantes. Não podemos, por exemplo, assistir passivamente Nova Serrana progredindo, crescendo, enquanto nós ficamos para trás. Precisamos crescer como em Nova Serrana. Nós não somos cidade de segunda categoria, Divinópolis é maior que seus governantes!


Como médica há mais de 40 anos, pretendo não dar tréguas ao Secretário de Saúde do Estado para não só amenizar, mas resolver o caos na saúde de Divinópolis. Em todos esses anos de profissão nunca vi uma situação tão caótica como a vivida por nossa cidade.


Temos um hospital, que é o mais importante e referência para toda a região, à beira da falência, uma UPA que foi inaugurada às pressas para ser utilizada como peça de propaganda eleitoral e que, hoje, é utilizada de uma forma que não foi planejada na época.


Um hospital em construção que já esgotou todos os prazos de inauguração e que ninguém em sã consciência nessa cidade pode afirmar quando será inaugurado e o Samu mais uma vez adiado. Quem tem que resolver essa situação? Certamente, o governo do Estado. Afinal, se partiu dele essa ideia, então que termine logo essa obra!


Em relação à saúde, pretendo lutar pelo fim da famosa “farra das ambulâncias” que só serve para deputado e prefeitos sacrificarem a população. Ao invés disto, irei propor ao governo do Estado promover mutirões de cirurgias, despenalizando o paciente de tantos riscos e sofrimento.
Na questão ambiental, pretendo continuar minha luta em defesa do meio ambiente e em particular do rio Itapecerica, buscando junto ao governo do Estado recursos que possam ser aplicados em nossa cidade.


Pretendo buscar o resgate do funcionamento de creches, com recursos do Estado, e a inserção de matérias como Planejamento Familiar, retorno das Aulas de Música nas escolas e noções de meio ambiente na grade escolar.

 

 

Porque os eleitores devem votar na Heloísa Cerri?
Um deputado estadual possui muito mais atribuições do que consta em qualquer manual descritivo do comportamento parlamentar, que se pode encontrar facilmente na internet.


Uma das maiores reclamações dos eleitores divinopolitanos, nestes últimos anos, tem sido a perda quase total de nossa influência nas decisões dos governos estadual e federal. Divinópolis, que já foi a décima economia do Estado, hoje não está nem entre as vinte primeiras. Somos atualmente, a nível estadual, o que se diz no jargão popular, um zero à esquerda.


Não somos destino para nenhuma empresa de médio ou grande porte, como estamos vendo em cidades como Pouso Alegre, Sete Lagoas, Varginha, Poços de Caldas, Juiz de Fora, Uberlândia e Montes Claros e até mesmo nossa vizinha Itaúna. Nossa cidade parou no tempo!


Infelizmente, nossa representatividade, principalmente em relação ao governo do Estado, tem sido pífia. As únicas ações do governo do Estado em nossa cidade nesses últimos anos servem mais ao propósito desse governo do que realmente beneficiar Divinópolis. Quase nenhuma delas teve a influência de nossos parlamentares.


Precisamos mudar isso urgentemente, meus amigos. Uma cidade com mais de 200 mil habitantes não pode continuar nessa vida marginal. Todos os dias vemos nas manchetes de jornal ou nos sites de notícias, grandes empreendimentos industriais, comerciais ou de infraestrutura pelo Estado afora e aqui em nossa cidade nada de relevante!


Eu pergunto a vocês: qual a última empresa que se instalou em Divinópolis? Até quando vamos nos contentar com tão pouco? O que nossos milhares de jovens podem esperar para o futuro? Temos ótimas escolas que qualificam mão de obra todos os anos, mas onde essas pessoas irão trabalhar?
É essa ação parlamentar de pouca eficiência e resultados ineficazes, que vêm de sucessivos períodos parlamentares, que se for eleita pretendo mudar. Chega de parlamentar cordeirinho que morre de medo de encontrar com o governador e explicitar seu descontentamento diante da falta de um tratamento mais justo, respeitoso e digno para a nossa cidade e região.


Minha postura na Assembleia legislativa de Minas Gerais será a mesma que tive enquanto vereadora em Divinópolis, apenas com uma diferença: na Assembleia, as exigências serão bem maiores e meu trabalho também.


Estamos às vésperas de uma eleição da maior importância. Nós vamos decidir o nosso futuro. Respondam com sinceridade às seguintes indagações.


1. Vocês estão felizes com esta Divinópolis do jeito que ela está? A cidade está no rumo certo?
2. Seus filhos terão alguma oportunidade de emprego em empresas e indústrias instaladas em Divinópolis? Cite qual é esta empresa ou indústria.
3. Vocês estiveram recentemente em outras cidades importantes de Minas Gerais e as compararam com Divinópolis? Você conseguiu não ficar decepcionado?
4. Vocês acham que Divinópolis atualmente faz parte do mapa do progresso de Minas e do Brasil?
5. Se um amigo de longe viesse visitá-los, qual lugar em Divinópolis vocês o levaria para conhecer?
Se vocês têm boas respostas para estas perguntas, desculpe-me por ocupar seu tempo.  Caso contrário, pense um pouco mais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.