quarta-feira, 22 de Julho de 2015 09:53h Atualizado em 22 de Julho de 2015 às 10:05h. Mariana Gonçalves

Uso de simulador em autoescolas volta a ser discutido como medida obrigatória

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), órgão do Ministério das Cidades, decidiu tornar obrigatória a utilização do simulador de direção veicular nos centros de formação de condutores (CFCs)

O pedido da volta da obrigatoriedade partiu dos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) de todo o país. Até o momento, somente os Estados do Rio Grande do Sul, Acre, Paraíba e Alagoas exigem as aulas nos simuladores.

De acordo com o proprietário de uma autoescola em Divinópolis, Carlos Cônsoli Filho, não é de hoje que a discussão sobre o uso de simuladores vem ocorrendo. No entanto, em um primeiro momento, diversos Estados se recusaram a aderir esse projeto. “As autoescolas não são contra o uso de simulador, fomos contra a medida da forma como ela estava sendo imposta. O simulador estava entrando de uma forma muito arbitrária, porque é um investimento caro para as autoescolas, e o próprio Detran não tinha um software para poder desenvolver o sistema e poder aplicar isso dentro do Estado de Minas Gerais”, explica.

Ainda segundo Carlos, seria complicado ter esse dispositivo funcionando dentro dos centros de formação estando o Detran despreparado para lidar com ele. “Até então, o Departamento não tinha como colocar o simulador funcionando de forma que aquelas aulas feitas nesse equipamento fossem validadas no computador. Mas como o projeto não passou no Congresso, as autoescolas esfriaram com esse assunto. Em Divinópolis praticamente ninguém tem o simulador”, destaca.

Ontem, Carlos esteve em Belo Horizonte na sede do Detran-MG para se inteirar sobre o funcionamento do simulador a partir de agora.

 

ENTENDA

Os candidatos à obtenção da Carteira Nacional de Habilitação ou aqueles motoristas que irão mudar de categoria, serão obrigados a fazer, no mínimo, cinco horas/aula, de simulação, sendo uma com conteúdo noturno. As aulas deverão ocorrer após o aluno ter feito o curso teórico e antes de iniciar a prática nas ruas. Inicialmente, a determinação vale para os que vão dirigir carros de passeios, na categoria B. Numa segunda etapa, será obrigatório o uso do simulador para quem dirigir veículos comerciais, caminhão, ônibus e motos.

Em material divulgado na página online do Detran, o presidente do Contran, Alberto Angerami, explica o porque da exigência do simulador. “Nossa maior preocupação é com a segurança no trânsito. Já tivemos bons resultados nos Estados que aplicaram a medida, principalmente no Rio Grande do Sul, onde foi registrada redução do número de acidentes após a obrigatoriedade do simulador”, pontuou.


Crédito: Divulgação

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.